Categories
Turismo

Acidentes com turistas: quando a viagem torna-se um pesadelo

Infelizmente, presenciei um acidente fatal com pára-quedas em Portugal (veja, no final, uma foto da área do acidente). Isso me fez refletir…

O que foi programado para ser uma viagem dos seus sonhos pode transformar-se em pesadelo. Encantados com os lugares que visitam, turistas tendem a diminuir a atenção dedicada a cuidados básicos com segurança.

Imagine-se caminhando nas ruas de Paris. Deslumbrado com a arquitetura dos prédios, com a riqueza histórica, você presta menos atenção nos carros. É fácil prever um atropelamento. E que tal subir nos enormes blocos de uma das Grandes Pirâmides do Egito? (Depois de várias mortes, o governo egípcio proibiu isso. Leia depois este post publicado aqui no blog.)

O maior vilão dessa história é a nossa câmera (uma câmera dedicada ou a câmera do smartphone). Em busca das melhores imagens, podemos ignorar buracos, cercas, animais, rampas, precipícios.

Cá em Portugal, todos os anos os noticiários reportam mortes de turistas causadas por simples descuidos. Isso é comum, por exemplo, em Cascais e em Sagres, locais com enormes penhascos. Turistas posicionam-se na beira de um penhasco para fotografar. Basta um passinho errado… Locais com muralhas, fortalezas e castelos também fazem parte desse cenário. Ano passado, um brasileiro morreu ao cair de uma muralha em Óbidos. Foi pura desatenção. Quase sempre, a culpa é do próprio turista.

Turista em Cascais. Hora da pescaria. Mas veja onde...
Turista em Cascais. Hora da pescaria. Mas veja onde…

.

Muralha em Óbidos.
Muralha em Óbidos.

.

Óbidos.
Óbidos.

.

Eu fotografo muito (mais que japonês!). Em um local como Sagres ou Cascais, imponho limites a mim mesmo. Em Óbidos, não desliguei minha atenção por um minuto sequer. Para piorar, chovia no dia de minha visita. Estava muito mais perigoso explorar a área. Cada passo meu em muralhas e altos degraus foi friamente calculado.

Em Sagres, uma placa em homenagem a um jovem que morreu ao cair no penhasco.
Em Sagres, uma placa em homenagem a um jovem que morreu ao cair no penhasco.

.

Sagres.
Sagres.

.

Quanto a aventuras mais radicais, pense duas vezes antes de se envolver. Quem está por trás da atividade? Quais são os cuidados? Qual aparelho é usado? Aquele teleférico é realmente seguro? O passeio de balão é mesmo necessário em sua viagem? Você realmente está apto a um salto de pára-quedas, mesmo que seja com um instrutor? Não recomendo que você nunca faça nada disso. Mas, na mínima dúvida, afaste-se.

Sagres.
Sagres.

.

Há muito pára-quedismo no Algarve (Sul de Portugal). Gosto de observar (mas saltar, nunca!). Há poucos dias, justamente quando eu observava uma série de saltos, uma TURISTA teve problema com o pára-quedas. E lá veio ela, rápido, como um risco no céu, bem diante dos meus olhos.

Seta verde: Serra de Monchique (Portugal). Seta vermelha: área onde caiu o pára-quedas.
Seta verde: Serra de Monchique (Portugal). Seta vermelha: área onde caiu o pára-quedas.

.

Pense muito. Sempre. Turismo, acima de tudo, é DIVERSÃO. Para manter esse espírito, nunca deixe de lado os cuidados que a sua viagem exige.

By GLAUCO DAMAS

Moro em Portugal. Atuo como autor desde 2001. Publiquei livros infanto-juvenis, inclusive pela Editora Saraiva. Em 2013, surgiram o primeiro livro técnico e o primeiro guia de viagem.

Deixe um comentário