Categories
Destaques Turismo

A sinistra CAPELA DOS OSSOS em Évora (Portugal)

Entrada da Capela dos Ossos em Évora

Évora fica no Alentejo, em Portugal. Nesse agradável lugar encontra-se um dos pontos turísticos mais sinistros que eu já vi: a CAPELA DOS OSSOS. A capela faz parte da famosa Igreja de São Francisco, na Praça 1º de Maio.

A visita ao local é uma imersão em História, em religião e – por que não? – em arquitetura.

 

A Capela dos Ossos de Évora

Um pouco da história

No século 16, havia 42 cemitérios monásticos na cidade. Ocupavam um espaço muito grande, e pensava-se em um modo de aproveitar toda essa área para outros fins. A solução dos franciscanos, criativa e sinistra, foi extrair os ossos da terra e usá-los para erguer e “decorar” uma capela.

Espere aí, Glauco! Eu achava que “Capela dos Ossos” era alguma força de expressão! Há mesmo ossos nela?! Verdadeiros?! E como decoração?!

Sim!

Calcula-se o uso dos ossos de mais de cinco mil monges, entre crânios, tíbias, vértebras e fêmures. Estão dispostos nas paredes, nas colunas e no teto, em macabra arquitetura, desenhando alguns ornamentos. A capela é formada por três naves, com as luzes entrando por três frestas à esquerda. As paredes e os oito pilares são revestidos de ossos ligados por cimento pardo. As abóbadas são pintadas com motivos alegóricos à morte.

Ah, eu não acredito!

Pode acreditar.

Logo na entrada, o visitante encontra os dizeres “NÓS OSSOS QUE AQUI ESTAMOS PELOS VOSSOS ESPERAMOS” (foto acima). É uma ref–

Espera! Por que uma coisa assim tão macabra? Tão mórbida?

Os monges tinham um objetivo muito sério. Não queriam apenas fazer uso criativo dos ossos retirados dos cemitérios. Os dizeres destacados acima foram um meio de eles comunicarem às pessoas o seguinte: “que a capela sirva de consolação a uns e de notícia à curiosidade doutros”. Evidenciaram, enfim, a transitoriedade da vida. Há um profundo sentido religioso nisso.

A seguir, eu mostro toda a visita, desde o lado de fora, na praça. Você vai passear comigo, conhecer alguns detalhes desse ponto turístico tão intrigante.

Se você for muito sensível, não prossiga. As imagens são impressionantes. Há notícias de pessoas que passam mal na capela!

OK. Respirei fundo! Estou preparado. Ou não… Sim, estou. Vamos em frente?

Agora mesmo! No final, apresento informações sobre preços, horários, endereço.

 

Antes da capela

Nada melhor que detalhar a visita por meio de legendas em algumas fotos.

Comecemos pelo exterior, na praça da igreja:

Parte externa da Capela dos Ossos
Igreja de São Francisco. Entrada da Capela dos Ossos.

Passamos por aquela entrada…

Chão na entrada da Capela dos Ossos
Olhamos para a direita. O que seria isso no chão? O que tamparam ali? Por quê?
Passagem suspeita, lacrada, na entrada da Capela dos Ossos
Bem perto dali, outro detalhe curioso. O que havia por trás disso? Por que lacrado assim? A Igreja e seus mistérios…
Árvores frutíferas na entrada da Capela dos Ossos
Entramos em um corredor. À direita, umas árvores frutíferas.
Corredor na entrada da Capela dos Ossos
O corredor, agora olhando para trás, depois de atravessá-lo. À esquerda estão as árvores; lá no fundo, depois do arco, estão os dois “detalhes curiosos” que acabo de mostrar.
Placa indica acesso à Capela dos Ossos
Atravessamos uma porta de vidro… e vemos uma placa (sem capricho, né?) que já nos causa um arrepio.
Prestes a entrar na Capela dos Ossos
Viramos à direita. Novo corredor. Ali ao fundo, à esquerda, nós vamos entrar…

Chegamos, então, à Sala do Capítulo, onde reuniam-se os frades no começo e no fim de cada dia e onde eram feitos os grandes conselhos e capítulos conventuais. Foi construída no reinado de D. Manuel I, no século 16. As fotos a seguir são dessa parte. Aqui, compraremos também nossos ingressos. A entrada da capela está bem perto.

Altar na pré-entrada da Capela dos Ossos

Teto na Sala do Capítulo da Capela dos Ossos

Azulejos na Sala dos Capítulos da Capela dos Ossos
Os azulejos que circundam a sala representam a Via Sacra.
Quadro na Sala dos Capítulos da Capela dos Ossos
Calma… estamos a caminho… Veremos alguns quadros e objetos dos monges.

Livros dos monges

Antifonário dos monges

Objetos dos monges

Livro de cânticos dos monges

Quase à entrada da Capela dos Ossos
Preparado? Agora, sim, veremos a capela! Está logo ali, à direita…
Arco de entrada da Capela dos Ossos
Finalmente, a entrada da Capela dos Ossos.

 

Dentro da Capela dos Ossos

A partir de agora, alguns detalhes do interior da capela. Observe os “ornamentos” nas paredes, no teto e nas colunas. (Ainda está com os olhos abertos?)

Parede da Capela dos Ossos

Ornamentos em uma parede da Capela dos Ossos

Coluna com ossos

Coluna e parede da Capela dos Ossos

Visão geral do lado direito da Capela dos Ossos

POEMA EXIBIDO NO QUADRO (foto acima):

As caveiras descarnadas
São a minha companhia,
Trago-as de noite e de dia
Na memória retratadas
Muitas foram respeitadas
No mundo por seus talentos,
E outros vãos ornamentos,
Que serviram à vaidade,
E talvez… na eternidade
Sejam causa de seus tormentos.

Duas colunas e uma parede da Capela dos Ossos

Eu e os corpos pendurados ao fundo
Ao fundo, dois cadáveres completos, pendurados — adulto e criança. (Você verá melhor esses corpos em uma outra foto.) Com a ajuda de alguns leitores que deixaram comentários aqui (alguns solícitos, outros mal-educados), reescrevo esta parte para explicar essa história. Segundo uma lenda, uma mulher era muito maltratada pelo marido e pelo filho. No leito de morte, ela os amaldiçoou, dizendo algo parecido com isto: “Quando morrerem, não serão dignos de a terra os comer e os desfazer”. A partir disso, há versões diferentes. Uns dizem que, no momento de enterrarem aqueles corpos, a terra ficou dura, impossibilitando abrir um buraco. Outra versão diz que nem tentaram enterrar os corpos, por medo de que a terra apodrecesse devido à maldição. E, no fim, lá estão os corpos dos dois. É claro que eu só posso aceitar isso como lenda. Então, de quem serão os corpos pendurados? O fato é que eu achei uma falta de respeito com aquelas duas pessoas. Para piorar, há um sensor de movimento no exato ponto onde estou: ele aciona a luz que ilumina os corpos. É uma “surpresa” assustadora para o visitante, mas fica nisso mais um tom inadequado de trem-fantasma de parque de diversões.
Coluna com crânios
Este artigo é um dos mais lidos do blog. Foi originalmente publicado em 2009. Alguns leitores não gostaram dos termos “sinistro” e “macabro” usados aqui. Acham que eu não entendi o sentido histórico da construção, nem a mensagem que os monges quiseram transmitir. Queira ou não, a capela, com todos os seus grandes valores históricos e religiosos, é, sim, macabra e sinistra. Isso não lhe tira os méritos.
Corpos pendurados
Os corpos pendurados, agora em visão melhor. Vale lembrar: à esquerda, uma criança.

Coluna com fêmures

OUTRO POEMA EXIBIDO NO LOCAL:

Aonde vais, caminhante, acelerado?
Pára… não prossigas mais avante;
Negócio, não tens mais importante
Do que este, à tua vista apresentado.

Recorda quantos desta vida tem passado,
Reflecte em que terás fim semelhante,
Que para meditar causa é bastante
Terem todos mais nisto parado.

Pondera, que influído d’essa sorte,
Entre negociações do mundo tantas,
Tão pouco consideras na morte;

Porém, se os olhos aqui levantas,
Pára… porque em negócio deste porte,
Quanto mais tu parares, mais adiantas.

(atribuído ao padre António da Ascenção Teles)

Visão oposta da Capela dos Ossos
Visão contrária: do fundo da capela, diante do altar, olhando para a entrada.

Teto principal da Capela dos Ossos

Diversos ossos na parede da Capela dos Ossos
As peças estão protegidas por vidros. Isso foi necessário porque (acredite!) muitos visitantes, além de tocarem nos ossos, partiam pequenos pedaços (dentes, principalmente) para levar de lembrança. E você, gostaria de levar algo assim para casa?

Ossos e ornamento em uma parede

Um crânio

Detalhe de uma parede

Teto e parede

Outra coluna

Ornamento com data

Parede forrada de ossos

Altar

Túmulo
Em frente do altar (foto anterior), encontramos os túmulos dos três frades fundadores do convento.
Túmulo de um bispo
Podemos ver também o túmulo do bispo D. Jacinto Carlos da Silveira, assassinado por soldados de Napoleão durante as invasões francesas, em 1808.

.

Que tal? Vai para lá ou só consegue ver mesmo em fotos?

.

Endereço

  • Igreja de São Francisco
    • Praça 1º de Maio
    • Para localizar direto no Google Mapas, siga este link.

 

Horários

  • Das 9h às 12h45
  • Das 14h30 às 17h40
  • Aos domingos, abre às 10h

 

NOTA:
Procura hotéis em PORTUGAL? Aproveite a parceria deste blog com a Booking. Vantagens costumam aparecer nas reservas. Siga aqui para conferir. (Esse é um link afiliado. Há uma pequena comissão ao blog, e isso ajuda a cobrir altos custos com servidor de qualidade, segurança, tratamento de imagens, etc. É assim que eu NÃO coloco aqui aquelas publicidades irritantes que atrapalham o conteúdo dos artigos. Por uma internet mais limpa! Eu agradeço.)

Preços

  • Adultos: 2€
  • Estudantes e reformados/aposentados: 1,50€
  • Taxa extra para fotografar: 1€

.

By GLAUCO DAMAS

Moro em Portugal. Atuo como autor desde 2001. Publiquei livros infanto-juvenis, inclusive pela Editora Saraiva. Em 2013, surgiram o primeiro livro técnico e o primeiro guia de viagem.

86 comentários a “A sinistra CAPELA DOS OSSOS em Évora (Portugal)”

segundo livro do apocalipse esses ossos vão terem que se ajuntarem aos seus lugares para se apresentarem ao grande trono branco que é o grande juíso final que o qual terá o juiso chamado jesus cristo e cada um irá prestar conta de todos os teus atos.

no dia do juizo final eles irão se juntarem para apresentar junto ao grande trono branco quedo qual terá o grande juizo chamado jesus,

Na primeira semana do ano de 2019, estive visitando a capela, achei muito interessante, não tive sensação ruim, pelo contrário, saí de lá, com uma energia positiva, afinal estou viva. Os corpos já não estão mais pendurados, podemos vê-los em uma caixa de vidro, diante de nossos olhos

Parabéns pelo seu EXCELENTE site. Mas documentos da própria igreja católica, esses ossos são de judeus, ciganos, protestantes, etc assassinados pela Inquisição Católica (Contra-Reforma Protestante)

A igreja catolica fazia o que o Estado mandava fazer, criar trubunais,
o inquisidor mor era escolhido pela corte,
a matança seguinte era o estado que fazia,

é o que diz os livros todos de historia que tu nunca leste,porque és um idiota ignorante.

o estado que os porcos dos teus antepassados toleravam e até apoiavam, que hoje em dia, pessoas como tu, continuam a suportar a tolerar e a cooperarar, com um estado ladrao que tira a vida as pessoas, pois elas nao tem vida propria, matam-se a trabalhar ate nao aguentarem mais, e pagam impostos altissimos que nao deviam pagar,

tudo para alimentar um bando de chulos,(ESTADO) que nao se importam de tirar comida da boca de crianças, e de sacrificar vidas de pessoas, para as suas mordomias.

Eu acredito no que diz Antonio Martins sim , porque nao havia no século 16 tantos monges assim num só lugar, a matança daquela época era grande e isso ao contrário da explicação no início da matéria, me parece uma forma de desrespeito e de subjugo mesmo após a morte .

Deves começar a ler ciencia e historia, enquanto é tempo,
os tribunais eram da igreja,
o grande inquisidor era um escolhido da corte, um nobre
e quem matava era o ESTADO.

Se andas preocupado com assassinatos, devias andar preocupado com o que o teu Estado anda atualmente a fazer.Matar pessoas á fome e miséria.

Deixa de ser ignorante, os padres apesar de nao serem santinhos, nunca mataram ninguem. mas ainda ha adultos que acreditam em historias maçonicas do pai natal.

Também lá estive à muitos anos enquanto jovem. Fiquei bastante impressionado porque nunca pensei ver algo assim, uma obra prime, algo sinistra claro, mas também com o Divino bem presente. Recomendo a sua visita.

Ossos humanos expostos como estão na Capela dos Ossos não são nada macabro. Macabro é o que estamos vendo diariamente, pessoas matando covardemente seus semelhantes a fim saqueá-los, estupros covardes de mulheres e crianças, políticos se corrompendo, roubando o dinheiro do povo, deixando a população em estado de miserabilidade, Os ossos onde foram colocados, numa Capela, podem nos convidar a uma reflexão de vida.

E por ironia que pareça.

OS MESMOS QUE MATAVAM ANTES , E DURANTE A INQUISIÇAO- O
ESTADO

SAO OS MESMOS QUE CONTINUAM A MATAR HOJE EM DIA, SO QUE AGORA MAIS SUBTILMENTE.
ROUBANDO O DINHEIURO DO POVO, E DEVOTANDO-O Á MISERIA.

OS FADRES NAO ERAM MACABROS, AVISAVAM A POPULAÇAO APENAS, MOSTRANDO A REALIDADE..

Concordo que esta capela nos convida a uma reflexão e, principalmente como ainda somos intolerantes com nossos irmãos. Lá estão expostos todos juntos, não importando mais quem são, o que fizeram ou o que tinham. Porém a alma, imortal está liberta e habitando por aí, em busca do desenvolvimento pessoal. Também estive lá e gostei de observar e até tentei imaginar estas pessoas vivendo nestes tempos, não tão diferentes do nosso.

Olá… estive nesta Capela, é mesmo assustador, dá arrepio na espinha quando se entra, mas vale a pena, é sinistra mas maravilhosa ao mesmo tempo. só indo até lá se consegue entender quanto fascínio ela traz. Belíssimo post. Obrigada.

Olá Glauco! Muito bom o post! Me mudei para Portugal recentemente com meus avós e queria muito visitar o local, sua publicação ajudou muito a saber melhor como era o local! ( e evitou que eu levasse um susto quando a luz se acendesse sobre os corpos rs ) A capela realmente tem um ar de mistério, mas seu valor histórico faz passar qualquer receio de visitar o local, mas levar um dente de lá já é demais! rs
Beijos! Seu post foi muito útil para mim e meus amigos! Continue assim!

E por ironia que pareça.

OS MESMOS QUE MATAVAM ANTES , E DURANTE A INQUISIÇAO- O
ESTADO

SAO OS MESMOS QUE CONTINUAM A MATAR HOJE EM DIA, SO QUE AGORA MAIS SUBTILMENTE.
ROUBANDO O DINHEIURO DO POVO, E DEVOTANDO-O Á MISERIA.

OS FADRES NAO ERAM MACABROS, AVISAVAM A POPULAÇAO APENAS, MOSTRANDO A REALIDADE..

Existem mais capelas assim pelo pais, caso nao saibam. Os fadres acharam nisto uma maneira de avisar a população, até porque foram incumbidos de limpar cemiterios.

Olá Glauco! Descobri seu Blog recentemente e estou adorando!!! Ouvi falar muito bem de Marvão e Reguengos de Monsaraz, para quando uma visita sua a estas localidades?? Gostaria muito de conhecer os seus comentários!!

Por favor continue com seu ótimo trabalho!!!

Olá Glauco.Adorei o seu trabalho,as fotos,as informações detalhadas.
Sempre fui fascinada por caveiras,então graças ao seu trabalho pude “visitar”uma das igrejas mais lindas.Gostaria até um dia me casar em uma delas.será que é permitido?rsrsrs.
Continue com esse seu trabalho tão incrivel!abraços.
Lins-SP-Brasil

Estive na Capela em 2012. Para mim foi uma experiência interior, de reflexão, mas não achei sinistra ou macabra, nossos corpos são apenas nossos veículos para transitar nesta terra e evoluir. macabro foram os fornos da segunda guerra que expuseram a maldade de muitos . Macabro e semelhantes situações ocorrerem ainda hoje. Gostei muito de revisitar e repensar a visita feita a essa capela e seu blog está ótimo. Denise, campinas, São paulo, brasil

Estive na Capela dos Ossos na semana passada, com as minhas filhas. Acho um exagero que se cobrem 2 euros por pessoa quando só existe uma sala para visitar, mas pronto, é o país que temos.

Parabéns, as suas fotos estão excelentes, embora a capela atualmente esteja muito diferente por se encontrar em obras.
Não posso deixar de concordar consigo que é de muito mau gosto o sensor de movimento que acende a luz virada para os dois esqueletos, mas acho que já foi retirado.
Quanto há lenda sobre os dois cadáveres, acho que não passa disso mesmo… uma lenda. Pois pelo tamanho da criança, duvido que tivesse idade suficiente sequer para andar, quanto mais para bater na mãe.

Estive ai na Capela dos Ossos, visitando Evora no ano de 2004, e realmente foi o local mais estranho que estive na minha vida, é uma sensação constante que você está sendo observado por umas 5000 pessoas. Aqueles corpos secos e pendurados que batiam na mãe me impressionaram como todo resto…. Evora inteira é um Show, alias todo o Alentejo..

Olá Glauco!
Estou encantada com esta preciosidade que você expôs, tenho como objetivo visitar esta Capela e o túmulo da Florbela, fiquei feliz em saber que ambos são em Évora, pretendo estar lá em 02/07/14.
Grata pela exposição!
Um abraço!
Ana Claudia

Em agosto próximo devo visitar Portugal, mais precisamente a Freguesia de Alegrete e a Universidade de Évora. Buscando informações sobre os pontos turísticos encontrei a tua referencia a Capela dos Ossos. Realmente sinistra, mas que desperta nossa curiosidade. Parabéns por tão detalhada postagem.

Estive lá, mas não entrei. Macabro, de mau gosto. Senti- me estranha, mas recebe muitas visitas de turistas, que amam conhecer. Vou ter que suportar a minha, o que já é demais.

Penso assim: “O que seria do verde, se todos gostassem só do amarelo?”

Glauco Adams,adorei sua historia vivida na Capela do Ossos, realmente é uma coisa que se eu tivece menos idade iria explorar tudo a palmo porque é uma coisa que me fasina , estou hoje com 72 anos mas o meu Espirito é de uma jovem de 18 anos ,viajo bastante e adora ver essas historias, principalmente sabendo Q. são veridicas Um abração…FIQUE COM DEU.

Você já ouviu dizer que o mundo não é como nos contaram, não é? Pois bem, conheço uma pessoa que sabe infimamente mais detalhes sobre a verdadeira história desta capela. Ele já havia me contado muito vagamente antes deu ver seu blog, agora que eu o vi vou tentar adquirir a maior quantidade de informação possível sobre esta capela e posteriormente postar aqui. Até em breve!

Oi, Paulo.

Vou gostar muito de receber essas informações. Talvez eu enriqueça este post com o que você me apresentar. Mande as informações por e-mail. Se eu aproveitar seu material, darei crédito a você no post.

Obrigado!

A ideia da capela é ótima. Para se pensar na transitoriedade da vida. Em quanto nos detemos em mesquinharias e vaidades. “Quanto mais tu parares mais adiantas”.

Na verdade ainda é mais sinistra que as Catacombes de Paris…..onde foram recolhidos os ossos de vários cemitérios franceses que foram depositados numa pedreira de onde saiu a pedra para muitos edificos construídos em Paris 1787-1814 : Transferts des ossements issus d’autres cimetières parisiens aux Catacombes.
Belas fotos . Não conheço esta Capela mas parece que a vou conhecer este fim de semana.

belo post, porem vc deveria estudar mais… não é desrespeito ao menino, a mãe dele o amaldiçoou e disse que a terra não o aceitaria. ele e o pai dele . Chama-se os corcundos amaldiçoados

Bem feita e interessante sua a mostra da história quando de sua visita na Capela dos Ossos, em Évora mas por favor pare de falar que é sinistra e macabra por que não é. Depende do ponto de vista de cada um. Os franciscanos retiraram os ossos dos cemitérios e no meu ver, fizeram uma grande, enorme e eterna homenagem aos que morreram. Morrer é a coisa mais natural do mundo. Tudo que tem vida um dia morre e a matéria que sobra são os ossos. Porque eles são sinistros? Os ossos dos dinossauros estão expostos em museus e não tem nada de sinistro ou macabro. Isso é história!! Quanto ao corpo pendurado e também o de uma criança, eles foram expostos por pura, total e enorme ignorância de alguém que achou que “nem a terra irá aceitá-los”. A mãe lançou-lhes uma praga – “nem o diabo vos irá deixar entrar no inferno”. Depois que a mãe morreu, eles morreram e quando os foram enterrar, a terra estava dura e ninguém foi capaz de os enterrá-los pois nem a “terra irá aceitá-los”, então penduraram os corpos na capela dos ossos. Quanta ignorância que se estendeu até os dias de hoje.
Não é correto julgarmos as obras, sem o conhecimento da história da época quando os valores eram diferentes dos nossos dias. Pode mostrar seu vídeo mas cuidado com os comentários. História é diferente de estória. Sou de São Paulo, Brasil e vou conhecer a Capela dos Ossos.

São Paulo/SP/Brasil

Adorei! Parabéns pelo vídeo e tb por alguns comentários. Estive nesta capela em janeiro de 2012. É um lugar para meditar. Tantas pessoas que se preocupam só com aparência e consumismo têm a oportunidade de ver qual será seu fim.

Adorei este Tur Virtual, esta de parabéns. Sou anatomista. Tudo do corpo me fascina. Parabéns. Profª Marleyne
Cidade do Recife/ Pernambuco-Brasil

No mes de out 2012 estive na capela dos ossos. Sinceramente não me assustou, pelo contrário, fiquei fascinada.

Campo grande, ms.

Se acham a capela em si macabra, acho então que gostariam de saber que haviam muitos “turistas” que tiravam dentes e partiam pedaços dos ossos para levarem como souvenir, antigamente não havia câmaras de vigilância, não se pagava para entrar e não havia ninguém a entrada para controlar…Vivo em Évora faz 30 anos e das últimas vezes que ali fui reparei que não podemos mais caminhar pela capela toda como antigamente, o que é bom pois assim dificulta mais os “roubos” das ossadas. Os esqueletos pendurados já foram mudados de lugar.

eu vi e postei no facebook, mais dai eu me pergunto como pode estes tais manjes fiserão isto,isto me deixa confusa sobre a crença em Deus de homens que se separavam para DEUS,que deus é este que eles adoravam ?tem muitas coisa obscuras nas religiões,e na vida de religiosos que segundo eram ” adoradores “

– Olá ! as fotos desta capela são realmente sinistras , mas estive aí neste agosto de 2012 e filmei e já gravei um DVD. Portugal é maravilhoso , a serra da estrela , Sintra , Óbidos, etc. , por sinal nessa região tem um condominio e nele tem a casa do senador brasileiro José Sarney . Numa casa de Fados uma cantora me disse que ela e sua companhia de Shows já fôra convidada e fizeram um show para a família Sarney . Pode ? – Senador brasileiro pode !!!!!

PS. Como dizia o falecido humorista brasileiro , Chico Anísio….Tá podido!!!!!!!!!!!!!!!

Abraço de João Batista

cidade de Juiz de Fora , Minas Gerais, Brasil.

João Nascimento, fico feliz por você saber descobrir, explorar e reconhecer os inigualáveis encantos daqui de Portugal. É um país fantástico para turismo!

E… senador pode tudo, hein? 😉

Olá! Eu e meu esposo fomos a Portugal para o casamento do nosso filho mais velho que por coincidência, também se chama Glauco. Ele e a esposa, nos levaram pra visitar a Capela dos Ossos. Gostamos muito. Mt interessante as informações dadas, que levaram os monges da época a construirem a capela. Parabéns pela iniciativa de dividir com tanta clareza esta belíssima experiência. Um abraço.

Olá querido colega!

adorei tudo!!já tinha ouvido falar deste lugar não mão tinha idéia de como é grandioso, sou formada em história e me encanta descobrir coisas novas, povos e amigos que gostam de novas descobertas.
grande abraço!!

Olá, sou guia-intérprete nacional de Portugal e guia do estado de Pernambuco, casado com uma paraense, e residente de Novembro a Março no Recife, especializado em turismo cultural. Por razões profissionais conheço bem a história de ambos os países.

Glauco, agradeço-lhe o cuidado exposto na exibição fotográfica/videográfica, mas não posso deixar de lamentar que o mesmo cuidado não tenha sido posto nos comentários e informações disponibilizadas a quem assiste ou lê. Se o tivesse feito, saberia que a dita Capela dos Ossos em Évora foi feita num antigo dormitório, no século XVII(17), e não XVI (16), uma época marcada pela célebre “trilogia negra seiscentista” (mudanças climáticas que levaram a más colheitas e a um período de FOME muito longo e acentuado / de GUERRA e crises políticas, que tudo destruía, nomeadamente os campos agrícolas, acentuando ainda mais as inúmeras carências / e, consequentemente, e também dadas as crónicas situações de falta de assistência médica naquela época, além da inexistência de noções de salubridade pública, de higiene urbana e saneamento básico, as populações foram profundamente afectadas por epidemias, então designadas de PESTES) um pouco por toda a Europa.
Este quadro extremamente negro foi agudíssimo em Portugal por conta da Guerra da Restauração de Independência (1640-1668) em relação a Espanha. A morte era extremamente comum, daí este sentimento colectivo de “transitoriedade da vida neste mundo”, a tal ponto que se reflectiu na arte, quase como se houvesse aqui uma função catequética, em que os vivos deveriam ter atenção aos seus pecados ou o fim estaria próximo, a tal ponto que os mortos já estariam esperando por eles; daí a macabra frase que sempre aparece: “Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”.
Além disso, há que ter em conta que o sepultamento dentro das igrejas, nos claustros e noutras dependências monacais/conventuais foi normal em Portugal até ao século XIX, e que era até considerado um privilégio (ofensa era ser sepultado num descampado, pois a noção de cemitério no sentido actual não existia; era um “campo santo”, e seria tanto mais santo se fosse no interior da igreja propriamente dita).
Como frequentemente acontece, é um reflexo de ortodoxia religiosa, quase a roçar o próprio fundamentalismo, que sempre se manifesta profundamente nos períodos de crise, que aliás está bem patente nas crises dos nossos dias.
Dito isto, é de todo errado julgarmos as obras, sem lhes fazer o adequado enquadramento de época, sobretudo quando os valores divergiam bastante dos actuais.
Isto foi válido para Évora, para Faro e para outras localidades. Existem algumas capelas dos ossos tardias (caso de Campo Maior), já do século XVIII, o que era um pouco fora de moda no Portugal setecentista, mas cuja construção está sempre associada a acontecimentos trágicos da história local.

Grato pela atenção, SILVINO SILVA.

Boa noite Glauco
Sou de Santos SP Brasil, eu e minha esposa estivemos em Portugal de 28/8/11 a 30/8/11, ficamos em Lisboa para conhecer a bela Lisboa,dia 31/8/11,começamos no tour por todo o Algarve excurçao de onibus, nao foi muito cançativo,nosso roteiro foi com pernoite todos os dias: 31/8/11-LISBOA-LAGOS-VILAMOURA-ALBUFEIRA,1/9/11 ALBUFEIRA,FARO,MERTOLA,EVORA (COM VISITA A CAPELA DOS OSSOS)2/9/11 EVORA-VILA VIÇOSA-ALTER DO CHAO-ALMOUROL-TOMAR-FATIMA (NAO DA PARA AGUENTAR AS LAGRIMAS CORREM NORMALMENTE QUANDO SE CHEGA AOS PES DA VIRGEM MARIA E A PROCISSAO DAS VELAS)
03/9/11 FATIMA-PORTO MUITO BONITA,4/9/11 PORTO-BRAGA-GUIMARAES-MATEUS-VALE DO DOURO-LAMEGO-5/9/11-LAMEGO-COIMBRA-BATALHA-NAZARE-OBIDOS-RETORNO A LISBOA,estou dando este roteiro para outras pessoas poderem conhecer melhor Portugal, minha proxima viagem a Portugal sera pela Ilha da Madeira.

Tenho certeza que existem lugares maravilhosos para se ver em Portugal, este é bizarro e a energia do local deve ser muito ruim, afinal todos nós só sentiremos paz na alma quando nosso corpo voltar ao pó.
Mas gosto não se discute…
Eu com certeza nem entraria aí…
Visite a Ilha da Madeira deve ser linda…
Até mais!
São José dos Campos/ SP/Brasil

Parabéns pelas fotos. Acabei de retornar de lá e todas retratam muito bem o local. Aliás, está tão rico de detalhes que recordei de umas passagens, como dos materiais dos monges, que havia esquecido.

Abraços Luciana

Olá, visitei essa capela quando era pequena, lembro-me perfeitamente dos corpos claro…:/
Mas essa lenda não explica como é que um bebé pode bater em alguém.

Oi, Susana.

São muitas as lendas. Já encontrei umas 10 versões para a origem dos corpos pendurados… Quem sabe a verdade?

Abraço e obrigado pela visita.

Olá, adorei visitar seu blog. Farei uma viagem em breve para Portugal e Itália e já dei uma espiada em algumas coisas. Valeu a dica! tudo de bom!

Olá,

Sou de Évora, tenho 28 anos e cresci a saber da história da capela, que me foi transmitida pla minha avó paterna. Antes de partilhar com vocês a minha versão deixem-me só acrescentar que a história da luz acender com um sensor é algo mesmo muito recente. Alguém que se calhar achou que a capela precisava de mais publicidade…
A história diz que o pai e o filho batiam na mãe e que a fizeram mesmo muito infeliz, depois vem a história de quando eles morreram não os conseguiram enterrar… Isto tem passado de geração a geração e arrepia…
Odeio a capela, mas se quiserem desenvolver o que está por trás de tudo aquilo falem com qualquer habitante da cidade. Mas deixo aqui uma partilha: Das vezes que se fez alguma escavação perto da Igreja de São Francisco foram descobertas inúmeras ossadas, entre elas muitas eram de bébes… Só para deixar uma ideia!

Oi, Helena!

Adorei seu comentário! Coisas tristes, é claro, mas assim é a capela, e você enriqueceu o post.

Obrigado!

Não Serão os ossos de muitos que foram mortos durante a inquisição? Havia assim tantos cemitérios. puxa Lisboa é uma cidade bem maior que Évora e tem tão poucos! Como é que nas escavações adjacentes, sáo, ou foram encontrados ossos de crianças? ´Como é então? Se no comentário é dito que eram ossos de 5000 monges, que fazem ali os ossos de crianças? Não serão parte de famílias inteiras mortas durante o período inquisitório?. Pois eu Sei que Portugal tem belezas naturais tão lindas para se ver! Desculpem a minha incredulidade.

Aqui deixo uma achega sobre a Inquisição: será ponto assente que mais de 50% dos supliciados eram naturais da Região do Alentejo. E ao autor deste blogue sugiro a consulta da obra em 2 volumes “A Inquisição em Évora”, que é a tese de doutoramento do Professor Catedrático e grande Historiador Borges Coelho. Saudações lusíadas.

Imprenssionante!!!
Vi ontem a noite dia 31 de maio de 2011 no programa de Hebe Camargo uma reportagem sobre esta Capela em Portugal… Dai fiquei curioso pensando de quem seriam esses ossos! Quem foram estas pessoas. Então resolvi entrar no google e encontrei esta página que me deu todas as informações.
PARABÉNS GLAUCO!!! POIS ATRAVÉS DE SEU DEDICADO TRABALHO PUDE CONHECER OS DETALES DESTA CAPELA… é como se tivesse visitado pessoalmente esta sinistra Capela dos Ossos em Portugal!

Abraço e votos de sucesso em tudo que fizer…

VICENTE FREIRE BARBOSA

a mãe lanço-lhes uma praga – “nem o diabo vos irá deixar entrar no inferno”-. depois da mãe morrer, eles morreram e quando os foram para enterrar, a terra tornara-se dura e ninguém foi capaz de os enterrar. foi então que decidiram pendurar os corpos na capela dos ossos. Quando se vai a alguma visita de estudo pede-se sempre a ajuda de alguém responsável pela igreja. ainda mais quando se vem para a internet publicar fotografias e anúncios. As pessoas quando falam em público dizem o que sabem e não usam falsas suposições. Os corpos que estão ali fazem parte de uma História antiga que faz parte dos nossos antepassados. O povo Português não é um povo mais Bárbaro do que os outros só porque pendurou um corpo de uma criança numa capela de ossos. Para tudo existe uma explicação. e se percebeu bem a mensagem da entrada deixaria de se preocupar com as ossadas da criancinha. . Mas felicito-o por divulgar este sítio ao Mundo. E parabéns pelas fotos. Saudações Portuguesas.

Caro Glauco

Sobre os dois pendurados lá na parede, não se preocupe com com eles, diz a historia que eram pai e filho e eram muito ruins com a mae. Depois que ela morreu, disseram que a terra poderia deteriorar porque a mãe havia os amaldiçoado. Então penduraram eles naquela parede para passarem o resto da eternidade ali.

Excelente seu trabalho.Estarei lá em março de 2011 p/ dar uma conferida.

Sonia, de Laranjeiras no Rio de Janeiro.

Grata pela sua contribuição ! As fotos para a contextualização e ilustração às nossas aulas – são fantásticas.
Profª.Cecília – Filosofia – Guarulhos – SP

Glauco, sinistro o negócio, mas ao mesmo tempo é vibrante, eu vou lá, pois vou para Portugal em setembro. Depois vou te escreevr para contar se eu desmaiei ou não. =)

Olá Glauco, saúde
Assim se vão construindo as pontes culturais e de respeito que todos nós necessitamos. Pessoalmente não conheço o Brasil e bem gostava… talvez um dia. Fico entretanto à espera das imagens da capela dos ossos da igreja do Carmo de Faro – não se esqueça de me avisar.
Um grande abraço amigo de LB

Se se tivesse informado melhor poderia ter visitado também as capelas dos ossos de Monforte e de Campo Maior, no Alto Alentejo. Foi pena que não tivesse feito também um filme, para nos mostrar no seu blogue, da de Faro, na igreja do Carmo, um trabalho excepcional trabalho de arquitectura interior, bem estruturado (mais pequeno em área, mas mais alto do que a capela de Evora, e uma utilização mais consciente, se é que podemos dizer assim, para um “negócio” tão macabro, dos ossos na arquitectura).
Abraço de LB, de Beja (onde não há capela dos ossos), Baixo Alentejo, Portugal.

Oi, Leonel!

Muito prazer em recebê-lo aqui, nobre português! Sou fã demais do seu povo! 🙂

Sinceramente? Eu não sabia das capelas nesses lugares que você citou. Quando voltar a Portugal (tenho ido pelo menos uma vez por ano, a passeio), tentarei programar dias para visitar as cidades e as capelas.

A de Faro eu mostrarei aqui no TOTH em outro post especial. E eu filmei. 🙂

Um abraço e, como dizem os portugueses, “com os melhores cumprimentos”,

GLAUCO

Amigo A coragem vem da curiosidade e ansiedade de saber mais.Aqui seus leitores encontram informação, em particular tenho me atualizado.
bjs

Incrível!
Impressionou-me o livro de cânticos. Aquela partitura tem, no mínimo, 450 anos.
A música ambiente é, também, medieval.
Impressionante!

Belíssimo post, mestre. O senhor não estava brincando quando disse que a capela era fascinante. E sinistra.

Obrigado por, mais uma vez, servir de cobaia ao visitar e mostrar lugares em que eu nunca teria de coragem de pôr os pés. 🙂

Glauco!
Simplesmente, surpreendente!Deu um frio na barriga vendo a luz acender e mostrar o esqueleto pendurado, nossa, arrepiante. Mas sou corajosa vi até o final.Você mostrou muitos detalhes.Ah, vc tem uma bonita voz!O sinistro foi suavizado por sua voz. rsrsrsrsrsrr
Abraço
Parabéns pelo excelente post.
Adorei
Albani

Já tinha visto, muitos anos atrás, fotos dessa capela. Mas você mostrou detalhes muito diferentes e seu vídeo está ótimo!
Parabéns!

Olá, LUCAS! Muito obrigado pelo comentário! Um grande incentivo!

O seu também, JOÃO CARLOS! Obrigado! 🙂 Se sonhar com uns ossos, não vai me culpar, não, né? 😉

ALBANI, meu obrigado a você também. Mulher corajosa por ler até o fim! 😉

THIAGO, a música ambiente que toca lá aumenta demais o tom sinistro. E o livro de cânticos é pra encantar qualquer pessoa que aprecie isso. 😉

GLAUCO

:: TOTH ::

Deixe um comentário