Categories
Turismo

A emoção de visitar a Casa de Mozart em Viena

Mozart

Casa de Mozart (ou Mozarthaus) estava no topo de minha lista de lugares para visitar em Viena, Áustria. O hotel onde me hospedei, Hilton, ficava tão perto que dava para ir a pé. No caminho, descobri algumas boas surpresas, como a Pizzaria Da Capo e uma pequena e simpática livraria que nos leva a uma breve viagem no tempo. Além disso, bem perto dali está a Catedral de Santo Estêvão, o ponto turístico mais famoso da cidade (onde podemos visitar as impressionantes catacumbas).

De repente, na Domgasse (esse é o nome da rua), encontrei meu destino: o prédio de Mozart. O coração disparou, a respiração perdeu o ritmo. Lá estava o local onde Wolfgang Amadeus Mozart morou com a família – de 1784 a 1787 – e compôs alguns de seus grandes trabalhos. Aliás, foi naquele endereço que ele produziu mais intensamente. O prédio ganha importância ainda maior por ser a única morada de Mozart, em Viena, que existe até hoje.

“…o melhor lugar do mundo para a minha profissão”,
disse Mozart ao pai ao citar Viena

 

Casa de Mozart em Viena: mapa
O balão vermelho marca a Mozarthaus. Note, à esquerda, a Domkirche St. Stephan, ou Catedral de Santo Estêvão. À direita, vemos a Pizzaria Da Capo.
Casa de Mozart em Viena: mapa
Vejamos mais de perto. Na parte inferior, encontramos agora a Buchhandlung 777, a tal “pequena e simpática livraria”.

Que emoção, Glauco! Eu quero muito tudo isso!

Respire fundo e venha comigo.

 

Casa de Mozart

O prédio na Domgasse

A estreita Domgasse ainda tem o chão coberto de pedras. O prédio da Casa de Mozart, construído no século 17, destaca-se no trecho que mostro a seguir.

Casa de Mozart em Viena: Domgasse

O prédio está à esquerda. Observe o perfil de Mozart naquele cartaz azul.

Que interessante! Mas você não vai mostrar mais de perto?

Claro que sim! Você acha que eu ia tirar um milhão de fotos para não exibir mais nada aqui?

Veja:

Casa de Mozart em Viena: Domgasse

Casa de Mozart em Viena: Domgasse

E vamos olhar também para cima:

Casa de Mozart em Viena: Domgasse

Percebemos, então, que dizemos casa de Mozart, mas na verdade era um apartamento. Há o hábito de falar em casa como referência ao local onde a pessoa morou. Isso também acontece quando falamos da casa de Anne Frank em Amsterdã (o esconderijo da família na época da II Guerra Mundial).

E então? Entramos agora?

Claro que sim, Glauco!

Ótimo. Eu gosto de ver leitores empolgados. Mas, antes de continuar, faço uma observação.

Veja novamente a primeira foto, com a rua em destaque. Daqui a pouco, citarei uma coisa SURPREENDENTE sobre aquele chão.

O quê???

Eu disse daqui a pouco!

 

Entremos no prédio

Enfim, entramos.

Antes da visita, eu tentei comprar bilhetes on-line. Descobri que eles não vendem assim (não perceberam que estamos no século 21). Compramos lá mesmo, na entrada.

Fui preocupado com a possibilidade de encontrar uma longa fila de espera. Naquela tarde de primavera, no entanto, a casa estava tranquila. Um funcionário disse-me que geralmente não há problemas para entrar.

Casa de Mozart em Viena

Casa de Mozart em Viena

Até aqui, o uso de câmeras é livre. Depois… nada feito. E cuidado ao tentar agir com esperteza: todo o local é vigiado.

Ah, que pena, Glauco! Eu queria ver umas fotos do interior!

Calma. Daqui a pouco, terei surpresas para você.

 

A visita

O prédio é um museu. Não apenas o apartamento que Mozart ocupou. A visita envolve todos os pisos, deixando o clímax para o momento em que entramos no apartamento. (É o mesmo esquema usado na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa. Todo o prédio virou museu. O clímax é entrar no apartamento onde Pessoa morou.)

Para começar a visita, vamos ao último piso. Se você tem preocupações com mobilidade, relaxe. Nós subimos por um elevador. Depois, de andar em andar, podemos usar as escadas ou novamente o elevador.

Se você precisar de alguma ajuda ou informação, não hesite em falar com os funcionários. Eles são atenciosos. Destaco a atuação de um senhor negro de uns 50 anos (que pena, não sei o nome dele!). Ele foi MUITO simpático e prestativo comigo. Fenomenal! Adora explicar as coisas, destacar curiosidades, despertar o interesse das pessoas. Se ele estiver lá durante a sua visita, aproveite!

Incrível, Glauco! E o que nós vemos durante a visita?

Há uma enorme variedade de itens, com ênfase na vida e no trabalho de Mozart de 1781 a 1791 (portanto, um pouco além do período em que ele morou naquele prédio). Os visitantes encantam-se com pinturas, fotografias, documentos, móveis, roupas, partituras de música, peças ligadas à Maçonaria, a máscara mortuária do compositor, etc. Os itens não se limitam a ele. Mostram também o contexto da época, incluindo moda, política, sociologia, ciência, outras personalidades vinculadas à história do compositor. Como estamos no século 21, a exposição adiciona um lado digital e interativo. Para compreender melhor cada item, você pode usar um audioguia. (Há audioguia especial para crianças.)

E aqui está a surpresa para você, que eu citei há pouco. Eu não podia fotografar… mas… quem disse que eu desisto? Por respeito à alta cultura do museu, eu não quis ousar com uso oculto de câmera. Então, pedi autorização a um funcionário. Expliquei que seria para este blog. Ele não permitiu. Então eu implorei, implorei e implorei mais um pouco, fazendo cara de piedade. Enfim, liberaram duas fotos. Foi tudo muito rápido, sem que eu pudesse me preocupar com luz ou enquadramento.

Casa de Mozart em Viena | Fotos do interior
Itens ligados à Maçonaria.

Casa de Mozart em Viena | Roupas da época

Uau! Glaaaaauco! Essas roupas! Eu vou chorar!

Pois eu tenho mais.

Já em casa, em Portugal, eu decidi entrar em contacto com eles para pedir fotos do interior. Expliquei que eu pretendia usá-las neste blog. Atenciosos, eles enviaram – oh! – mais material. Eu não sou incrível? 😉

Aqui estão as fotos:

Casa de Mozart em Viena | Fotos do interior

Casa de Mozart em Viena | Fotos do interior
Antonio Salieri e dois figurinos de sua ópera Axur re d’Ormus.
Casa de Mozart em Viena | Fotos do interior
Seção interativa: Viena na época de Mozart.

Casa de Mozart em Viena | Fotos do interior

Casa de Mozart em Viena | Fotos do interior

Casa de Mozart em Viena | Fotos do interior

Casa de Mozart em Viena | Fotos do interior
Programa para a estréia de As Bodas de Fígaro — 1786.

Se você ainda não desmaiou de emoção…

Ainda não! Eu estou aqui!

…saiba um detalhe que passa despercebido pela maioria dos visitantes.

Com exceção de algumas partituras, convites, programas de apresentações, os itens NÃO são originais de Mozart. Eles são mesmo DA ÉPOCA de Mozart, mas não dele. As roupas que você viu ali em cima? São originais da época, mas eram de outra pessoa. Móveis, peças da Maçonaria? Também da época, mas não de Mozart. A máscara mortuária, que tanto impressiona os visitantes, é uma réplica — e perfeita. O museu não tem originais dele para apresentar, então recorre a peças reais da época para promover uma perfeita ambientação.

Muitos visitantes reclamam disso. Ficam frustrados quando sabem que não são peças de Mozart. Por isso, chegam a classificar o museu com apenas uma ou duas estrelas no Google Mapas e no Trip Advisor. Eu acho injusto. O grande valor do lugar está no facto de Mozart ter morado e trabalhado ali. Portanto, o prédio é a estrela da visita. Sentimos ali toda a energia do lugar, da vida do gênio Mozart. Por mim, o prédio até poderia estar vazio e eu ainda assim recomendaria a visita, com muita emoção!

Obrigado por avisar. Mas eu… bem… estou em enorme ansiedade para ver o apartamento de Mozart!

Vamos resolver isso JÁ!

 

O apartamento de Mozart

Antes de seguirmos a cada nível inferior, vamos a um pátio no meio do prédio e espiamos até lá embaixo. Dali, podemos ver a porta e a janela do apartamento de Mozart. Haja emoção!

Nesse pátio, você pode fotografar à vontade.

Casa de Mozart em Viena | Pátio

Casa de Mozart em Viena | Pátio
A janela iluminada, lá embaixo… é o apartamento de Mozart! À esquerda, vemos a porta. Uau!

Casa de Mozart em Viena | Pátio

Ao cruzarmos aquela porta que tanto ansiamos em ver, chegamos a um apartamento amplo e confortável. Sim, Mozart viveu muito bem naquela época.

Quer mais fotos?

EU QUERO!

Vamos lá!

Interior do apartamento de Mozart em Viena

Interior do apartamento de Mozart em Viena

Interior do apartamento de Mozart em Viena

Interior do apartamento de Mozart em Viena

Interior do apartamento de Mozart em Viena

Eu não consigo descrever a emoção que tomou posse de mim quando pisei ali. Sou apaixonado por História – essa mesma, com H maiúsculo. Em vários lugares, consigo versentir e até cheirar como o lugar era no passado. No apartamento de Mozart, eu o “vi” com a família. Também o “vi” trabalhando, inspirado, em mais uma composição.

Essa morada marca a biografia de Mozart com grandes acontecimentos pessoais e com a fase em que ele foi mais produtivo. Trabalhou tão exaustivamente que o pai ficou preocupado com o bem-estar dele. Preocupou-se também com as finanças do filho. Mozart não foi muito cuidadoso ao lidar com dinheiro – por isso gastou além do que podia para manter a família naquele conforto. O resultado disso, aliás, foram dívidas que o perseguiram até a morte.

Também ali, Mozart viu o nascimento do segundo filho, Carl, e do terceiro, Johann, que viveu apenas alguns dias. E ele ainda morava no local quando perdeu o pai, Leopold Mozart.

Há outros fatos marcantes ligados ao endereço. Lá, Mozart recebeu o jovem Beethoven para uma audição e algumas aulas. Depois, recebeu Johann N. Hummel, ainda criança, também para aulas. Hummel seria, anos mais tarde, um grande compositor com fortes influências de Mozart.

E quanto às criações do próprio Mozart?

O apartamento foi palco de criações como as óperas Le Nozze di Figaro e Don Giovanni, além dos quartetos de cordas dedicados a Joseph Haydn. Destaco também os concertos para piano nº 20 e 21, além de Pequena Serenata Noturna.

Por fim, uma curiosidade para os amantes de cinema. Há referência ao apartamento no filme Amadeus, na época da composição de Le Nozze di Figaro.

Quanta emoção, Glauco! Emoção, emoção, emoção! Mas eu quero observar uma coisa… E o chão da rua que você citou no início do artigo? Você disse que falaria de algo surpreendente sobre isso. Até agora, nada! Você está me enrolando…

Um suspense de vez em quando cai bem, certo?

Enfim…

Para explicar isso, cito novamente aquele simpático e atencioso funcionário do museu. Ele percebeu que eu sou muito curioso e conversou bastante comigo. Mostrou muitas coisas, fez vários comentários. De repente, ele pediu que eu observasse atentamente isto:

Maquete do apartamento de Mozart em Viena

É uma maquete do apartamento.

OK, eu observei.

Ele perguntou: “O que você nota de estranho?”.

Estranho? Observei de novo. E mais uma vez.

Enfim, ele explicou. Não há banheiro! Ou casa de banho, para os portugueses.

O quê?! Não há banheiro?!

Incrivelmente, não. E isso era comum na época!

Mas então… como eles…?

Simplesmente, juntavam “tudo” em um tipo de balde e…

…e…

…e?…

…atiravam na rua, pela janela! Eis a Europa daquele tempo!

Que horror!

Portanto, antes de enxergarmos a região com romantismo, imaginando pessoas lindas, limpinhas e felizes andando por ali, vamos lembrar que elas caminhavam o tempo todo sobre ruas fétidas. Você consegue pensar em Mozart sujando os pezinhos naquele monte de urina e de fezes? 😮

Não espanta haver tantas doenças na época. E talvez isso até explique a morte de um filho de Mozart. (Vale destacar, agora, o artigo que publiquei sobre a visita às catacumbas da Catedral de Santo Estêvão, lá mesmo em Viena. Milhares de vítimas da peste negra foram jogadas lá dentro.)

 

Horários

A Casa de Mozart abre todos os dias, das 10h às 19h. Mas atenção: o último horário para entrar é às 18h30.

Evite chegar nos últimos minutos. Tenha tempo para explorar bem o ambiente. São muitas peças para apreciar. Além disso, no final, reserve tempo para conhecer a loja de lembranças da casa.

 

Preços

O bilhete normal custa 11€. Visitantes de até 19 anos pagam 4,50€. Se for uma visita familiar, é possível pagar um total de 24€ (2 adultos + até 3 filhos).

Agora, uma boa notícia para quem tiver o cartão Vienna Pass: a entrada é gratuita.

 

Contactos

Telefone: +43 1 512 17 91

E-mail: info@mozarthausvienna.at

 

Localização

O endereço da Casa de Mozart é Domgasse, 5.

Siga aqui para localizar direto no Google Mapas.

 

Bons passeios! E viva o grande gênio da música!

 

~~~~~

Nota – Meus agradecimentos ao brasileiro Thiago Soler, um perito em Mozart. Gentilmente, ele ajudou aqui com informações. Se houver algo incorreto no texto acima, a responsabilidade será totalmente minha, não dele – no caso, uma falha de interpretação minha ao analisar o que ele me disse.

By GLAUCO DAMAS

Moro em Portugal. Atuo como autor desde 2001. Publiquei livros infanto-juvenis, inclusive pela Editora Saraiva. Em 2013, surgiram o primeiro livro técnico e o primeiro guia de viagem.

5 replies on “A emoção de visitar a Casa de Mozart em Viena”

Só gostaria de ressaltar que foi falado no texto que Betowen teria visitado Mozart nesta casa , não há nenhum relato histórico disso!!! Aliás nehum relato de um encontro entre os dois, quando Betowen foi até Viena para ter aulas com Mozart este já tinha falecido, não chegou a tempo pelo que consta nos dados históricos…

É incrível como fala dos lugares que nós podemos visitar. Mesmo aqui para falar de uma visita séria como essa de Mozart você usou um tom leve e me fez rir, eu fiquei interessado no artigo o tempo inteiro, cheguei a me sentir lá na casa. Obrigado pela dica, eu vou com a minha família para Viena em setembro e agora com certeza vou fazer essa visita. Seu blog é ótimo e é diferente, meus parabéns.

Deixe um comentário