Categories
Turismo

Cruzeiro no Nilo: conheça o navio Radamis II

Cruzeiro no Rio Nilo é a parte mais interessante e mais charmosa do turismo no Egito. Já testemunhei várias vezes sobre isso aqui no blog e em minhas redes sociais. Sempre incentivo as pessoas a incluírem o cruzeiro em roteiros de viagem.

Entre os navios mais conhecidos que servem a linha turística da rota Luxor-Aswan (também Aswan-Luxor), encontramos o RADAMIS II. Está preparado para conhecer em detalhes esse navio, incluindo um monte de fotos?

Sem dúvida, Glauco! E com bastante ansiedade!

Ótimo. Gosto de leitores empolgados. Então ative seu espírito aventureiro e venha logo comigo visitar o navio… enquanto navegamos em sonhos egípcios.

Bandeira do Egito em navio de cruzeiro no Nilo.
A bela bandeira egípcia durante navegação no Radamis II.

Radamis II

Custo-benefício

A classificação oficial do Radamis II é 5 estrelas. Na prática, não espere essa qualidade. Mas não se estresse: isso acontece com muitos outros navios e hotéis no Egito (também aqui na Europa, pode ter certeza).

O que significa não ter a anunciada qualidade 5 estrelas? Não é o fato de o navio já ser de certa idade. Isso não atrapalha. Simplesmente, é uma questão de conforto e sofisticação não serem compatíveis com tal nível. Talvez seja mais adequado vê-lo como 4 estrelas.

Apesar dessa discrepância, o navio é um dos que eu mais recomendo a turistas, por apresentar um ótimo custo-benefício. As pessoas conseguem boa qualidade a preços mais acessíveis. Eu mesmo, que sou exigente, já fiquei nesse navio algumas vezes, e gostei.

Cruzeiro no Nilo é uma emoção única no turismo pelo Egito

O Radamis II visto por fora.
Vista do navio a partir de uma faluca (quando saímos para fazer um passeio de faluca, em Aswan).

Tripulação

A tripulação do Radamis II é fantástica. Parabéns a TODOS.

Simpáticos, atenciosos, esforçam-se pela satisfação dos clientes durante o cruzeiro.

Recepção.
Área da recepção.

Cabines

Os quartos, ou melhor, as cabines oferecem o essencial para o conforto da viagem. Todas têm um pequeno banheiro, ar-condicionado, televisão (mas quem perde tempo com TV durante uma viagem maravilhosa?).

Se você for esperto o bastante para deixar as cortinas sempre abertas, terá o prazer e a intensa emoção de ver o majestoso e enigmático Rio Nilo pela janela. Mesmo à noite, sem enxergar o exterior, é emocionante saber e sentir que ele está bem ali. Eu durmo igual a um faraó (embora não seja preciso dizer isso, porque não há nenhum estudo que mostre se os faraós dormiam bem ou mal).

Corredor dos quartos.
Corredor das cabines.

Os mistérios e a majestade do Nilo encantam todos os turistas

Camas na cabine do navio.
Cabine no navio com vista para o Rio Nilo.
Imagine a emoção de entrar em sua cabine… e ver ESTA cena! O Rio Nilo ali pela janela!
Toalha dobrada em forma de macaco.
Cada dia uma surpresa na cabine, depois que eles entram para limpar e arrumar. Sempre vemos uma toalha dobrada em forma de animal típico africano: macaco, crocodilo, etc.
Banheiro no navio.
Banheiro na cabine. Simples, pequeno, mas com o essencial (costuma ser assim em navios).
Banheira.

Restaurante e refeições

Comer, comer, comer. Comer.

O restaurante é amplo, limpo e serve todas as refeições, incluindo o pequeno almoço (como se diz “café-da-manhã” cá em Portugal).

Entre os navios mais conhecidos, o Radamis II é, de modo geral, dos que melhor oferecem em comida – mais variedade, principalmente. Mesmo um vegetariano, como eu, consegue comer bem.

Vale dizer, aliás, que em cruzeiros no Nilo os navios tradicionalmente oferecem pensão completa (pequeno almoço, almoço e jantar). Bebidas, é claro, são pagas à parte.

(Artigo continua após este recado.)
Turismo no Egito? Conheça o MEU EGITO. Eu mesmo, G. DAMAS, lá recomendo os melhores guias de turismo egípcios — aqueles em quem eu mais confio. É uma parceria oficial. Lembre-se: em um destino exótico e complexo como esse, a sua viagem está nas mãos dos guias. Por isso, tenha preocupação com qualidade. Para saber mais, siga depois AQUI.

Restaurante do navio.
Mais uma vez, observe as janelas. Haja emoção!
Clientes servem-se no restaurante.
As pessoas servem-se à vontade. A carta muda todos os dias.

Bar e festas

O bar também é amplo e aconchegante.

Interessado em bebidas alcoólicas? Ali você pode pedir à vontade (leia depois um artigo sobre a questão do álcool no Egito). Mas aproveite para abusar das bebidas tradicionais, sem álcool – caso do delicioso sumo (suco) de hibisco. Eu tomo esse sumo aos montes para combater o calor!

Bar com turistas vestidos em fantasias.
Alguns turistas, com fantasias típicas, divertem-se na pista do bar. (Não estranhe as fotos a mostrarem poucas pessoas no ambiente. Eu escolhi os momentos.)
Um simpático membro da tripulação mostra flores de hibisco usadas para fazer meu sumo.
Taças de bebidas a serem servidas no bar.
Deu água na boca?

Em uma das noites no cruzeiro, após o jantar, há uma festa nesse ambiente. Geralmente, apresentação de danças e músicas típicas, podendo ser até uma encenação com núbios (povo nativo ali na região de Aswan).

Não perca isso. É muito divertido! No fim, as pessoas até saem do bar em festa, transitando por outros ambientes. Noite memorável!

Núbios em apresentação de dança no bar.
Festa no navio.
A animação saiu do bar e chegou à recepção.

Exercícios físicos

Come e bebe muito durante a viagem? O remorso o faz querer uns exercícios? Pode aproveitar as máquinas disponíveis no navio. O espaço é simples, mas oferece o suficiente.

Se abrir a cortina, poderá ver o Nilo enquanto perde umas calorias.

Sala de exercícios.

Lojas

Há duas lojas no Radamis II. Prepare seu fôlego antes de entrar nelas, porque nós queremos comprar TUDO.

Encontramos bijuterias, jóias, estátuas, mapas, roupas, enfeites para casa, etc. Foi em uma viagem dessas que eu comprei anéis e pulseiras que aparecem em muitas de minhas fotos.

Lembra-se das fotos que mostram a festa no bar, com turistas fantasiados? Muitos compram as roupas típicas nas próprias lojas do navio.

Loja no navio.
Loja no navio.

Glauco, eu agora vou perguntar uma coisa que pode ser absurda… mas aqui vai: podemos usar internet em um navio desses?

Nem um pouco absurda a sua pergunta. Muitos leitores já questionaram isso.

Uso de internet

Há internet no navio, paga à parte. Mas não conte com esse uso. Não é estável, e, pelo menos em minhas viagens, o sinal só podia ser captado na recepção do navio. Nada em cabines, bar, restaurante, convés. Inviável ficar limitado à recepção.

Apesar disso, eu nunca fico sem internet durante um cruzeiro. Como faço? Eu compro um cartão de operadora móvel que ofereça vários GB de acesso em plano de dados (recomendo sempre a Vodafone).

E então, tem gostado do navio até aqui?

Sim, Glauco! Muito interessante!

Pois eu ainda não mostrei a minha parte favorita.

As delícias do convés

O convés (o topo) do navio é o melhor de tudo. É onde eu mais dedico meu tempo.

Lá em cima encontramos uma bela piscina, cadeiras para tomar sol, um pequeno bar, uma mesa de jogos.

Apreciamos isso enquanto vemos o lindo Nilo passar por nós, sempre com seus mistérios e encantos. As margens dão um espetáculo à parte, principalmente na região de Aswan, onde milhares de tamareiras estendem-se por quilômetros. Nativos que moram por ali, principalmente crianças, adoram acenar, gritar um “oi”, e ficam tremendamente felizes se ganham uma resposta de quem está no navio.

No convés do navio Radamis II, navegando pelo Rio Nilo.
No convés do navio Radamis II, navegando pelo Rio Nilo.
No convés do navio Radamis II, navegando pelo Rio Nilo.

No convés concentra-se o melhor da vida no navio

No convés do navio Radamis II, navegando pelo Rio Nilo.
Piscina no navio.
No convés do navio Radamis II, navegando pelo Rio Nilo.
No convés do navio Radamis II, navegando pelo Rio Nilo.

Gostou? Quer ver mais fotos?

Sempre, Glauco! Mais fotos ajudam na definição de minha viagem!

Então eu deixo para você um álbum, em meu Google Fotos, com mais fotos que tirei durante o cruzeiro pelo Radamis II.

Divirta-se. Boa sorte… e VIVA O EGITO!

By GLAUCO DAMAS

Moro em Portugal. Atuo como autor desde 2001. Publiquei livros infanto-juvenis, inclusive pela Editora Saraiva. Em 2013, surgiram o primeiro livro técnico e o primeiro guia de viagem.

Deixe um comentário