Categories
Turismo

Que tal jantar nu em Londres?

jantar nu

Londres é muito bem servida de ótimos restaurantes. Há para todos os gostos. Eu sempre digo, por exemplo, que a cidade oferece boas opções aos vegetarianos.

Mas vamos pensar em algo mais radical. Eu disse “todos os gostos”, certo? Se você tem o sonho exótico de… ahn… jantar nu em Londres, pode fazer já uma reserva.

Ahn? Espera aí, Glauco. Deixa eu ler isso de novo. Acho que li errado ali em cima.

Não. Eu disse mesmo jantar nu em Londres.

Nu.

Pelado.

A generosa oferta vem de um novo restaurante, o The Bunyadi. A inauguração será em junho deste ano.

Ooooh… Glauco, você acha que eles terão clientes?

O proprietário deve estar rindo à toa. Várias semanas antes da inauguração, o restaurante já exibe mais de 32 mil reservas. Quanta gente querendo comer pelada!

O que passa na cabeça do proprietário?

Ele fala sobre “o primeiro restaurante de Londres a oferecer comida saudável às pessoas no seu estado natural”. As pessoas no estado natural, ele quer dizer, não apenas a comida.

A idéia principal é fazer os clientes ligarem-se à “verdadeira liberação”, em conexão total com a natureza. Smartphones são proibidos lá dentro. Químicos, corantes artificiais, eletricidade e gás estão descartados. Não há nada de plástico ou de metal. A iluminação vem de velas, e as divisórias das mesas são feitas de bambus. O naturalismo chega ao extremo de os talheres serem comestíveis.

A nudez não será obrigatória. O proprietário quer apenas encorajar a nudez. Ao chegarem ao restaurante, os clientes serão levados a uma sala onde deixarão as roupas e sairão vestidos com um roupão. Ficará a critério deles deixar o roupão de lado, quando sentirem-se mais à vontade no ambiente.

E você? Quer comer em Londres do jeito que veio ao mundo? Visite a página web do restaurante e faça uma reserva. E seja paciente, é claro. Apenas 40 pessoas, aproximadamente, poderão jantar ali por noite. Enquanto espera, você pode jantar nu em casa mesmo.

By GLAUCO DAMAS

Moro em Portugal. Atuo como autor desde 2001. Publiquei livros infanto-juvenis, inclusive pela Editora Saraiva. Em 2013, surgiram o primeiro livro técnico e o primeiro guia de viagem.

Deixe um comentário