Categories
Turismo

Hotel Mercure Cairo Le Sphinx: emoção durante hospedagem no Egito

NOTA – 18 de junho de 2017 – Esta página será atualizada de acordo com a viagem mais recente que eu fiz ao Egito, nos últimos dias.

 

Eu sempre repito uma coisa aqui no blog e em meu Facebook. Não me canso de dizer isso. O Egito foi a viagem da minha vida.

Lá, eu dormi em navio (cruzeiro no Rio Nilo) e fiquei alguns dias em um hotel no Cairo. Que hotel? É o que apresento agora. Conheça, então, o Hotel Mercure Cairo Le Sphinx.

Uau! Glauco, aquilo ali no fundo… é… uma das Grandes Pirâmides???

SIM! Incrível, não? Quer visão melhor que essa durante sua estadia no Cairo e arredores?

Olha aqui, eu me arrepiei, Glauco!

Eu entendo. O Egito causa fascínios únicos. Passei por grandes emoções que marcam a minha mente até hoje!

Vamos então aos detalhes, já que você se empolgou tanto.

 

O Hotel Mercure Cairo Le Sphinx

O hotel é uma unidade 5 estrelas do grupo Accor (rede Mercure). Em todos os sentidos, minhas experiências lá foram ótimas. E destaco muito o atendimento educado e simpático. Além disso, é apropriado para quem viaja com crianças.

Já vi críticas contra ele na internet, mas eu seria injusto se falasse mal de algo. Apaixonado como sou pelo Egito, voltarei ao país brevemente, e considero ficar nesse hotel outra vez.

 

As Grandes Pirâmides acenam para nós

Em termos de localização, poucos pontos no Cairo são melhores que esse.

O hotel fica muito próximo das Grandes Pirâmides. A sensação é indescritível. Elas estão bem ali. Elas. Sim, ELAS. Enormes, majestosas. Ao alcance dos nossos olhos. Eu ficava olhando… olhando… sem cansar.

Mapa Hotel Cairo Le Sphinx, perto das pirâmides

Em frente do hotel. Uau!

A foto acima não marca a minha primeira visão das Grandes Pirâmides. Ela foi tirada no terceiro dia. A minha primeira visão rendeu um momento especialíssimo, dois dias antes.

Meu vôo pela KLM, proveniente de Amsterdã, aterrou no Cairo às 4h da madrugada. Por isso, quando cheguei ao hotel, os arredores estavam em escuridão total.

Consegui dormir por apenas uma hora (depois de ir a uma discoteca, que você verá abaixo). Ao descer para o pequeno almoço (café-da-manhã), eu parecia um zumbi, de tão cansado. Mas aconteceu ali uma das coisas mais emocionantes da minha vida.

Havia paredes de vidro na área do restaurante. De repente…

Oh, espere! O que era aquilo? Eu estava enxergando bem?

Minha primeira visão das Grandes Pirâmides! Confesso, sem nenhuma vergonha, que meus olhos encheram-se de lágrimas.

Um “zumbi”… emocionado, deslumbrado. Zumbi feliz!
Área externa aos quartos. O que vemos lá no fundo?
Perto da piscina externa.

 

Saguão & arredores

O Le Sphinx é enorme, limpo, majestoso, muito bem decorado — com motivos egípcios, é claro. Para melhorar, o atendimento é muito cordial já desde a recepção.

Eu estava tão emocionado que respirava sem ritmo, o coração a mil por hora.

Explore um pouco o local comigo:

Antes de continuar, uma observação útil.

(Artigo continua após este recado.)
Turismo no Egito? Conheça o Meu Egito. Eu mesmo, G. DAMAS, lá recomendo os melhores guias de turismo egípcios — aqueles em quem eu mais confio. Em um destino exótico e complexo como esse, a sua viagem está nas mãos dos guias. Por isso, tenha preocupação com qualidade. Para saber mais, siga depois AQUI.

Ali mesmo, é possível trocar alguns dólares ou euros por libras egípcias. Há um posto de câmbio perto da recepção. (Mora no Brasil? Atenção. Leve euros ou dólares. Não leve reais.)

 

Discoteca

Lembre-se: eu disse que cheguei de madrugada.

Depois do check-in, eu estava a caminho do meu quarto quando descobri uma discoteca (ou boate, como dizem os brasileiros) lá dentro: a Le Mirage Club. Estava muito animada. E eu a sonhar com a cama. Mas… como resistir?

Naquele momento, não parecia haver turistas na discoteca. Pelo que notei, eram apenas jovens egípcios. Ficou mais interessante ainda, porque eu pude observar um pouco da juventude egípcia a divertir-se em um local desses, com as músicas da moda no país. Chama a nossa atenção o fato de homens também dançarem com homens. Pedi uns petiscos e experimentei uma cerveja egípcia – a Luxor.

Não tenho fotos de nada disso, porque câmeras eram proibidas lá dentro.

 

O quarto

Imagine: eu cheguei de madrugada e ainda fiquei na discoteca por uma hora. Dormi pouquíssimo, pois precisava encontrar o guia de turismo Ihab no início da manhã. (Alerta: evite fazer passeios pesados logo no primeiro dia – por exemplo, a visita a Gizé, com as Grandes Pirâmides e a Esfinge. Isso exige fôlego, principalmente se estiver muito calor. E todos chegamos cansados da viagem. Já escrevi sobre isso aqui.)

Como era o quarto?

O hotel não é vertical. Os quartos espalham-se pelo térreo, independentes, como se fossem pequenas casas. Dá para caminhar na área externa entre eles.

São limpos, razoavelmente decorados, com os confortos necessários — nada a mais, nenhum luxo.

No quarto, eles faziam um mimo interessante e divertido. Todos os dias, após a limpeza, um funcionário deixava uma toalha em forma de animal típico da África. Um dia, um macaco; no outro dia, um crocodilo. Nós sempre esperávamos a surpresa do dia ao voltarmos para o quarto.

Hotel Le Sphinx
Área externa entre os quartos.

 

Bares e piscinas

Há bares e piscina no interior – inclusive um bar na área do saguão. Mas é no bar externo que sentimos arrepios em todo o corpo. Ele está junto a uma outra piscina, a céu aberto. Note bem, a céu aberto. E dali nós vemos o quêêê, com visão limpa? Elas! Duas das Grandes Pirâmides!

Mas há um problema nessa área externa. O trânsito do Cairo é MUITO barulhento (percebeu o destaque em “muito”?). Condutores buzinam o tempo todo, o tempo todo, o tempo todo — como se para fazer o carro andar fosse necessário buzinar. Apenas um muro separa a área do trânsito maluco lá fora. A poluição sonora incomoda muito inicialmente. Depois, com tantas belezas e detalhes fascinantes, o turista pode relaxar e nem prestar mais atenção nisso.

Prefere no interior? OK, é muito bonito.

Piscina coberta.
Enfim, na área externa. Que tal? (Até vale a pena repetir esta foto!)

Muitos turistas aproveitam essa área para experimentar sheesha, aquele fumo típico do mundo árabe.

Você pode até pedir uma refeição nessa parte externa. Imagine a emoção de comer e beber olhando para aquele cenário. Mesmo se a refeição fosse ruim, eu ia achar gostosa, tão deslumbrado estava! (Preocupado com os gastos locais? Os preços no Egito são baixos, e eles ainda têm uma moeda fraca. Ao fazer câmbio, você geralmente troca 1 euro por 10 libras egípcias, e 1 real brasileiro, por 3 libras egípcias.)

Aliás, aqui segue uma dica especial. Para beber, comer ou fumar, vá no final da tarde. Você assiste à transição para a noite. De repente, acendem-se luzes voltadas às Pirâmides. Visão espetacular! Prepare sua câmera.

No início do artigo, eu disse que os funcionários são muito simpáticos. Nesta área, ali para jantar, ainda havia sol quando o homem que servia a minha mesa disse: “Daqui a pouco terei uma surpresa para vocês”. A surpresa eram as luzes das pirâmides. Brincando, o atendente dizia que tinha um controle remoto para controlar aquilo.

Brinde diante das Grandes Pirâmides
O brinde mais emocionante da minha vida! (E dedico agora esse brinde a VOCÊ!)

 

Pequeno almoço (café-da-manhã)

O restaurante é ótimo.

O que dizer, então, do pequeno almoço, ou café-da-manhã, como se diz no Brasil? Bem… era… digno dos deuses egípcios. Variado, muito variado, tudo de primeira qualidade. Eu viajo muito, e até hoje digo que foi o melhor pequeno almoço que vi.

Uau! Que emoção! Agora chega de falar, Glauco. Eu QUERO ficar nesse hotel! Como faço?

Vamos às informações práticas.

 

Endereço e contactos

O endereço do Le Sphinx é

1 Alexandria Desert Road

12556 GIZA

Veja no Google Mapas

Telefone:

+20 233776444

 

Reservas

Eu reservo todos os meus hotéis pela Booking. Por isso, este blog tem parceria com eles. Sempre prometem os melhores preços e condições. Para verificar, siga este link.

 

Nota – Infelizmente, perdi 80% de minhas fotos nesse hotel, devido a um problema no cartão da câmera. Por isso, uma pequena parte das fotos mostradas aqui foi tirada por funcionários de lá.

By GLAUCO DAMAS

Moro em Portugal. Atuo como autor desde 2001. Publiquei livros infanto-juvenis, inclusive pela Editora Saraiva. Em 2013, surgiram o primeiro livro técnico e o primeiro guia de viagem.

10 comentários a “Hotel Mercure Cairo Le Sphinx: emoção durante hospedagem no Egito”

Bom dia,
Tenho interesse em fazer a viagem do grupo para abril 2018, junto c minha filha.
Minha dúvida: entendo que o hotel escolhido para o pacote é muito bom. Todavia, fica distante da parte central do Cairo (onde gostaríamos de nos hospedar). Teria como fechar o pacote ficando em um hotel mais central, como o Conrad, pagando-se, se for o caso, uma diferença?
O hotel Le Sphinx tem serviço de transporte para a parte central do Cairo? Ou ainda, pôde-se pegar táxi com tranquilidade para locais centrais (restaurantes, etc) a qualquer hora, por exemplo: para jantar e retornar um pouco mais tarde ao hotel?
Outra dúvida: quanto tempo teremos para visitar o museu do Cairo?
Agradeço, desde já, informando que achei ótimo o trabalho e o pacote de viagens.

Oi, Rossana!

Obrigado pelo contacto.
Vi esta sua mensagem também por e-mail. Vou responder por lá.
Meus cumprimentos.

Olá, Paula!

Muitas mulheres vão sozinhas. Vemos isso o tempo todo. Apenas tenha o cuidado de estar acompanhada de um BOM guia.

Fique à vontade para falar mais comigo: glaucodamas@gmail.com

Veja também o nosso trabalho em meuegito.com

Eu fiquei no Barceló Cairo Pyramids, tambem ótimo hotel, tambem em Gisa. Não tão perto das piramides, mas dava para ver a pontinha..Ótimo atendimento, 4 estrelas e alguns atendentes falando espanhol.

Fiquei nesse mesmo hotel. Enorme.
Achei ele bom, com bons restaurantes, realmente tudo que seu post fala.
A internet não pegava no quarto,mas era só ir para o Hall que pegava sem problemas.
Recomendo também, pois ficar em um bom hotel no Egito é bem necessário.Alem do que muito comodo ter um restaurante, casa de Câmbio, etc, tudo fácil.

Abs

Deixe um comentário