Categories
Tecnologia

Museu Madame Tussauds: dica para fotografar melhor os bonecos

Madame Tussauds é o famoso museu que exibe bonecos de cera de celebridades mundiais (reais e fictícias), em tamanho real. O original está em Londres, mas há unidades em vários países. O Viagem Fantástica já esteve nas unidades de Londres, Berlim e Amsterdã.

Muito se fala da qualidade dos bonecos. Alguns são tão perfeitos que, quando vistos cara a cara, parece que estamos mesmo diante da pessoa em carne e osso.

Empolgados, os visitantes tiram inúmeras fotos. Mais tarde, ao mostrarem as fotos aos amigos, fica um clima de decepção, porque as pessoas acham que os bonecos são uma porcaria, totalmente artificiais. Alguns amigos elogiam tudo pra agradar, enquanto pensam: “Grande coisa! Está na cara que é boneco!”.

O turista fica inconformado. Queria mostrar nas fotos o realismo que viu pessoalmente.

O vilão dessa história está no FLASH da câmera.

Dentro do museu, a iluminação é suave, por isso as pessoas tendem a usar flash. A luz faz brilhar a cera dos bonecos, acentuando-lhes o toque artificial. E ilumina demais até quem posou para fotos ao lado dos bonecos. O seu rosto fica tão branco nas fotos que você mesmo parece um boneco de cera!

O que fazer?

Eu não sou fotógrafo. Como mero amador, procuro aprender coisas básicas, e agora partilho um pouco com você. Vamos então a duas dicas, para câmeras e para smartphones.

.

CÂMERAS

Uma câmera mais sofisticada deve ser capaz de capturar bem o ambiente, sem flash, mesmo com iluminação discreta. Em algumas ocasiões de penumbra acentuada, o flash é realmente necessário. Câmeras menos sofisticadas, em qualquer caso lá dentro, não conseguem dispensar o flash.

Uma dica para isso é controlar a INTENSIDADE do flash. Infelizmente, esse recurso nem sempre está disponível em câmeras mais baratas.

Abra as configurações da câmera e encontre a função de aumentar ou diminuir a intensidade do flash. Então, diminua a intensidade. A luz será bem mais suave, o bastante para iluminar discretamente o motivo da foto.

Eu estive há poucos dias na unidade do museu em Berlim. Fiz um teste com o boneco de Albert Einstein. Veja as fotos com flash normal:

Museu Madame Tussauds: dica para fotografar melhor os bonecos

Museu Madame Tussauds: dica para fotografar melhor os bonecos

Abri as configurações da minha Canon G16 e diminuí a intensidade do flash para “-2“.

Museu Madame Tussauds: dica para fotografar melhor os bonecos

Observe a diferença no boneco e no fundo. Ainda há certo brilho na “pele”, mas a iluminação está muito mais suave. (Vamos fazer de conta que Einstein estava com a pele oleosa! :-D) O mínimo em minha câmera é -2. Teria ficado bem natural se a configuração fosse um pouco além.

Museu Madame Tussauds: dica para fotografar melhor os bonecos

Algumas câmeras oferecem o recurso HDR, como a maioria dos smartphones. Isso pode ser útil em certas partes do museu. Veja abaixo.

.

SMARTPHONES

O segredo, agora, é esquecer o flash e habilitar a função HDR no aplicativo da câmera de seu smartphone. Praticamente todos os modelos oferecem esse recurso. Mantenha as mãos o mais firme possível para fotografar, ou a foto sairá borrada.

O HDR (high-dynamic-range) captura automaticamente a cena em três exposições diferentes, com mais e menos sensibilidade à luz. Depois, combina o melhor de cada foto, porporcionando um resultado que parece mais natural.

O recurso não faz milagres, por isso não dá certo em partes mais escuras do museu. Neste caso, esqueça o HDR e apele para o flash. Muito provavelmente, o aplicativo da câmera em seu aparelho não possibilita o controle da intensidade da luz. Então, tire a foto com flash normal e faça de conta que ficou contente com o resultado.

A boa notícia é que alguns (raros) smartphones permitem o uso combinado de HDR e flash. É o caso do Samsung Galaxy Note 4. O flash dispara em intensidade normal, mas o HDR tende a equilibrar a luz.

Ao usar HDR, fique atento a outro detalhe. Ele não trabalha bem quando há objetos em movimento. Se houver uma pessoa a deslocar-se na cena, provavelmente ela sairá borrada, ou como um fantasma. Lembre-se: o museu está sempre lotado, por isso deverá haver alguém passando por ali.

Há algo mais a fazer? Bem… há aplicativos para câmeras à venda nas lojas do iOS e do Android. Prometem muitas maravilhas — às vezes, até controle do flash. Sinceramente, eu nunca vi um que compensasse usar. Cuidado ao gastar seu dinheiro com isso.

By GLAUCO DAMAS

Moro em Portugal. Atuo como autor desde 2001. Publiquei livros infanto-juvenis, inclusive pela Editora Saraiva. Em 2013, surgiram o primeiro livro técnico e o primeiro guia de viagem.

Deixe um comentário