Categories
Turismo

Nova moda feminina no EGITO… e como MULHERES TURISTAS devem se vestir

ATENÇÃO – Você pode desprezar este artigo. Há uma versão atualizada. Para ler, acesse agora AQUI.

O portal UOL publicou uma interessante matéria sobre uma nova moda feminina no Egito: o burkini, traje de banho muçulmano. Cobre todo o corpo, apenas com o rosto, as mãos e os pés à mostra (mesmo assim, enfrenta críticas dos mais conservadores).

Um traje desses é “estranho” no mundo ocidental, mas devemos respeitar costumes de outros países. Como turistas no Egito (portanto, visitantes), é nossa obrigação compreender hábitos diferentes e agir de maneira a não incomodar. Quando visita a casa de um amigo, você não se comporta de maneira inadequada, não interfere no modo de viver naquela casa. Como visita educada, você se ajusta ao local. Assim funciona quando visitamos outros países.

(Artigo continua após este recado.)
Turismo no Egito? Conheça o Meu Egito. Eu mesmo, G. DAMAS, lá recomendo os melhores guias de turismo egípcios — aqueles em quem eu mais confio. Em um destino exótico e complexo como esse, a sua viagem está nas mãos dos guias. Por isso, tenha preocupação com qualidade. Para saber mais, siga depois AQUI.

A matéria do UOL me fez pensar em um post muito visitado aqui no Viagem & História, sobre como mulheres turistas devem se vestir no Egito: «Beyoncé e o Egito: polêmica que os turistas devem evitar». Não deixe de ler caso pense em visitar o país. No Egito, vi muitas turistas agirem inadequadamente em relação a trajes.

~~~

Clique aqui para ler a matéria do UOL sobre os trajes de banho (a foto acima foi tirada de lá).

By GLAUCO DAMAS

Moro em Portugal. Atuo como autor desde 2001. Publiquei livros infanto-juvenis, inclusive pela Editora Saraiva. Em 2013, surgiram o primeiro livro técnico e o primeiro guia de viagem.

11 comentários a “Nova moda feminina no EGITO… e como MULHERES TURISTAS devem se vestir”

Olá,

Bom senso nunca é demais, mas seja qual for o lugar do mundo respeitar e ser respeitado é pré-requisito de sobrevivência. Cada cultura é incomparável, porém acho sim que seja lá onde for não devo mudar o que sou penso acredito e neste caso visto.
Uma coisa é sair com roupas curtíssimas, outra é vc usar uma regata e uma rasteira, num lugar em que o calor é infernal.
Vi muitas fotos em que turistas usam bermuta e regata, e vão a praia ou estão a piscina do hotel de biquini.
Gostaria de saber de verdade, além das regras se há alguma outra implicação referente a lei em si… to quase desistindo de viajar por que embora entenda e respeite, absolutamente não concordo. Quando turistas vem ao Brasil, nos adequamos a língua, e tudo o mais que se fizer necessário.

Olá querido Glauco!
Passei por aqui pq só assim tenho notícias suas, não é? rs

Vamos lá, vou deixar tbem minha opinião:
Luisa: Concordo com vc! E teremos problemas pq amo roxo/lilás. Vai combinar com a minha Melissa roxa. hehe

Fabricio: Entendo seu ponto de vista, mas podemos tentar ser mais empáticos. Me diga uma coisa: pq eles t~em de nos respeitar se somos NÓS que estamos no local deles? E outra, excesso de roupa não é desrespeito, mas a falta dela sim!

Glauco: como sempre, vc muito coerente em suas respostas e vendo os dois lados da moeda. 🙂

Agora… essa roupa me lemrou uma propaganda e agora não sei dizer qual. Uma que tinha um monte de gente vestida de branco. Pesquisei, mas a unica q achei foi a propaganda da camisinha DUREX, só q não era essa q eu estava pensando…. se alguem lembrar, fala aê! rsrs

Abraços
Carol

Cada país, lar, tem suas regras, ou melhor, costumes…
O respeito deve existir de ambas as partes, porém, se somos visitantes, temos que, nos adequar ao local, ou melhor, não vamos nos vestirmos igual, mas evitar constrangimentos se faz necessário.

Desculpe, mas eu não concordo.

Acho que sim, temos que respeitar o proximo, mesmo sendo de outra raça ou religião.

Eu respeito os muçulmanos, então acho que eles também tem que nos respeitar.

Nós não somos abrigados a vestir o que eles vestem, como se eles, no Brasil também não vão mudar a vestimenta deles.

Abraços

Olá, Fabrício! 🙂

No caso em questão, é o turista que vai ao espaço deles, não o contrário. Quem visita deve respeitar ao máximo os hábitos locais. Isso que eu quis dizer com “visita educada”.

Em nenhum momento os egípcios esperam que os turistas se vistam como eles. No entanto, espera-se (e pede o bom-senso) que os trajes dos turistas sejam “comportados”, principalmente nas mulheres. É questão cultural a ser respeitada. Lá, vi MUITAS mulheres (moças, especialmente, e principalmente brasileiras) que pareciam estar nas praias do Rio de Janeiro. Atraíram olhares de escândalo. Não acho NADA adequado.

Obrigado pelo comentário! 😉

Deixe um comentário