Categories
Turismo

Pastéis de Belém, em Lisboa: uh, nham-nham, delícia!

Pastéis de Belém. Oh, os famosos doces. 101% dos turistas em Lisboa querem prová-los — aos montes. Visitar a cidade sem deliciar-se com isso seria o mesmo que ir à região de Porto e não tomar nenhum vinho.

Glauco, eu programo agora a minha viagem a Portugal e certamente estou na estatística dos 101%. Vou comer muito, muito mesmo, em todas as cidades que eu visitar.

Muitos turistas me dizem isso.

Seu ânimo gastronômico é empolgante, mas…. vamos com calma.

Não se preocupe, Glauco. Eu faço um bom regime depois. Porque esses doces não me escapam, não!

Não me refiro a isso. Por mim, você pode comer o quanto quiser, e eu prometo não contar nada pra ninguém. Aproveite para abusar também com bacalhau, vinhos, azeites, azeitonas fresquinhas, etc.

O alerta era sobre outra coisa. Um detalhe que poucos turistas estrangeiros conhecem.

O legítimo, único, original pastel de Belém você encontra em apenas um (eu disse UM) local: a casa Pastéis de Belém, a poucos passos do Mosteiro dos Jerónimos (a Torre de Belém também está na área).

O ponto existe desde 1837. Outros lugares vendem apenas uma imitação. Aliás, por não terem licença de uso do nome, chamam a imitação de “pastel de nata“. Por isso você só deve encontrar “pastéis de nata” à venda durante seus passeios pelo lindo Portugal.

Que tal conhecer agora comigo a tal casa famosa em Lisboa? Reserve um espaço em seu estômago e me acompanhe.

Casa Pastéis de Belém

Como tudo começou

No início do século 19, havia uma refinaria de cana-de-açúcar junto ao Mosteiro dos Jerónimos. Fazia parte de um pequeno comércio local.

Em consequência da Revolução Liberal, em 1820, os conventos e os mosteiros de Portugal foram fechados. Para sobreviver, um integrante do mosteiro passou a vender uns pastéis doces naquela área. Os doces logo começaram a ser chamados de “pastéis de Belém”.

Um único ponto em Lisboa (em Portugal!) pode vender os legítimos pastéis de Belém

A zona de Belém era distante da cidade de Lisboa. No entanto, a imponência do Mosteiro dos Jerónimos e da Torre de Belém atraía visitantes. Os pastéis, enfim, ganharam popularidade.

Azulejos na parede dizem a data de fundação da casa.
Os tempos de “casa” com z!

Em 1837, começou a produção em maior escala, na mesma casa conhecida até hoje. A receita mantém-se em segredo, transmitida apenas entre os mestres pasteleiros. Eles fabricam os pastéis artesanalmente, na “Oficina do Segredo”.

Através de uma parede de vidro, você pode ver milhares de pastéis saindo do forno. A visão é tentadora — maldade contra os visitantes! 😛

Pastéis de Belém saindo do forno.
É permitido fotografar. O que se vê aqui é apenas o produto final a sair do forno. A receita e a fabricação estão bem guardadas. E aí, você quer levar TODOS esses pra casa?

A visita

Está claro que o lugar é imperdível, e praticamente uma visita obrigatória. OK, ótimo. Mas a enorme popularidade traz alguns problemas típicos do universo do turismo.

Uma receita guardada a 7 chaves… ao estilo da Coca-Cola!

Costuma haver fila para entrar. Fica difícil conseguir mesa. E, na correria, nem sempre os atendentes — sobrecarregados — conseguem oferecer um serviço cordial, que deveria ser padrão em uma casa que vive de turismo.

Hora de contratar mais funcionários… certo? Parar ali para apreciar os deliciosos pastéis é um momento de prazer e descanso. Com o tumulto — maior no verão — e a dificuldade em ser atendido, alguns turistas ficam decepcionados.

Os pastéis de Belém servidos em um prato.
Já deu água na boca?

Enfim, você encontrará lá dentro um espaço enorme, uma estrutura histórica preservada. Corredores e mais corredores, salões, mesas dispostas em vários cantos.

Quer matar logo a curiosidade? Veja algumas de minhas fotos:

Interior da Casa Pastéis de Belém.
Interior da Casa Pastéis de Belém.
Interior da Casa Pastéis de Belém.
Interior da Casa Pastéis de Belém.
Interior da Casa Pastéis de Belém.
Interior da Casa Pastéis de Belém.
Interior da Casa Pastéis de Belém.
Interior da Casa Pastéis de Belém.
Interior da Casa Pastéis de Belém.
Um raro momento com mesas vazias.

Programe sua visita

Horários de funcionamento:

  • De 1 de outubro a 30 de junho
    • Todos os dias, das 8h às 23h
  • De 1 de julho a 30 de setembro
    • Todos os dias, das 8h à meia-noite

Endereço:

  • Rua de Belém, nº 84 a 92
    • Muito próximo ao Mosteiro dos Jerónimos
    • Para localizar direto no Google Mapas, siga aqui.

Lembre-se: horários podem ser alterados.


A casa Pastéis de Belém faz parte de um roteiro de 8 lugares a serem visitados em Belém.

NOTA:
Procura hotéis em PORTUGAL? Aproveite a parceria deste blog com a Booking. Vantagens costumam aparecer nas reservas. Siga aqui para conferir. (Esse é um link afiliado. Há uma pequena comissão ao blog, e isso ajuda a cobrir altos custos com servidor de qualidade, segurança, tratamento de imagens, etc. É assim que eu NÃO coloco aqui aquelas publicidades irritantes que atrapalham o conteúdo dos artigos. Por uma internet mais limpa! Eu agradeço.)

By GLAUCO DAMAS

Moro em Portugal. Atuo como autor desde 2001. Publiquei livros infanto-juvenis, inclusive pela Editora Saraiva. Em 2013, surgiram o primeiro livro técnico e o primeiro guia de viagem.

9 comentários a “Pastéis de Belém, em Lisboa: uh, nham-nham, delícia!”

Tive o prazer de conhecer Portugal, em 2.015 e muito dos pontos aqui mencionados, visitei-os e, sinceramente, somos tomados por uma emoção fantástica. Povo gentil e acolhedor, Portugal pulsa história, com certeza:voltarei.

Miguel, eu sempre digo: por mais que eu conheça países, Portugal continua em minha lista “TOP 5” para turismo. Você bem sentiu os encantos daqui.

Olá,Glauco!!
As informações fornecidas por você sobre Portugal estão na minha lista de favoritos. A riqueza de detalhes me impressionou, é facil perceber que domina está arte!
Meu sonho é conhecer Portugal e Turquia.
E suas informações estão sendo peças preciosas para futuro planejamento e execução!

Sucesso!!

Deixe um comentário