Categories
Turismo

Segurança em Paris

Voltei de Paris há 2 dias. Em um outro post, apontei uns aspectos negativos de uma viagem a essa fantástica cidade em julho.  Mas de uma coisa eu gostei muito: segurança.

Na área da Torre Eiffel. (Julho, 2012)

Em todos os pontos da cidade, vi policiais a pé e em viaturas. Havia até membros do exército com armas pesadas, muito atentos a detalhes. Em uma caminhada perto da Torre Eiffel, eu estava muito próximo de 3 militares que, ao avistarem uma bolsa no chão, apressaram-se em verificar o que era, e perguntaram a um grupo de pessoas se alguém ali era dono da bolsa (era, e ficou tudo bem).

Houve uma boa sensação de segurança.

By GLAUCO DAMAS

Moro em Portugal. Atuo como autor desde 2001. Publiquei livros infanto-juvenis, inclusive pela Editora Saraiva. Em 2013, surgiram o primeiro livro técnico e o primeiro guia de viagem.

4 comentários a “Segurança em Paris”

Também fiquei assustada quando em abril de 2012 estive em Paris e vi no aeroporto de Orly policiais do exercito com armas pesadas quase que encarando um grupo que me pareceu ser de Africanos. Época de eleição vi muitas manifestações contra o ex Presidente. Vi muita sujeira nas ruas muitos mendigos dormindo nas portas de bons restaurantes. Hospedei-me no Londres & N. York hotel muito bem localizado mas senti muita insegurança a noite nas imediações do hotel. Fiquei em Paris 12 dias e em momento nenhum a noite vi policiais. Adorei mesmo foi Portugal. Pretendo voltar em breve. Abraço todos Vania

Qualquer país da União Europeia é visado por terroristas. Veja-se o caso da Bulgária, que é de longe o estado mais pobre, e mesmo assim ainda há pouco sofreu um atentado. Até Portugal que ninguém liga a terrorismo é frequentemente mensionado como alvo.
Eu concordo que segurança nunca é demais, só não consigo entender é o emprego do exército. Eles não podem fazer detenções, eles não podem fazer investigações, existem polícias especializadas contra o terrorismo em todos os estados europeus, etc. Para que serve então? Para exibir pelas ruas? Ou estão à espera que os terroristas entrem com carros de combate Paris a dentro?

Eu prefiro assim. Segurança nunca é demais.

A França é um país visado em terrorismo. E estamos em época de Olímpiadas — que acontecem em outro país, tudo bem, mas é uma época em que pessoas com má intenção pensam mais em chamar a atenção do mundo.

Parece-me um exagero colocar o exército na rua. Eu sei que em termos de segurança Portugal (quem tem piorado muito), não é um exemplo, mas eu acho que ver militares na rua dá mais receio que encontrar um polícia de bicicleta ou a cavalo como por cá.
Exército é para guerra, e se ele anda na rua as pessoas vão pensar o que será tão perigoso que justifique a sua presença.
No caso da França ainda é pior, porque tal como Portugal, Espanha, Austria e Itália, lá existe uma Gendarmerie (como a palavra indica eles são a origem), que é uma policia militarizada (em Portugal é a GNR).
A meu ver, segurança pública cabe às polícias. A França não é a Itália, que tem problemas com a máfia e utiliza o exército para entrar em Nápoles.

Deixe um comentário