Categories
Turismo

Bons ventos sopram no Egito: estão de volta os vôos diretos do Japão


Estão de volta os vôos diretos Japão-Egito

O Egito está em uma luta para recuperar sua indústria turística. E vai conseguir. Agora, bons ventos finalmente começam a soprar.

O turismo no Egito foi gravemente abalado durante a revolta de 2011, que culminou na destituição do presidente Hosni Mubarak. O país entrou em instabilidade geral. Isso, associado a alguns outros graves incidentes, e com uma dose de sensacionalismo da mídia, afastou os turistas.

Uma das consequências foi o cancelamento dos vôos diretos Japão-Egito, já em 2011. O Egito sentiu o corte profundo. Os japoneses são fervorosos viajantes, e costumam gastar muito nos países que visitam.

A boa notícia é que agora, abril de 2016, cinco anos depois dos cancelamentos, o Japão permitiu o regresso da linha direta Japão-Egito. Precisamente, linha Osaka-Luxor.

O aeroporto de Luxor receberá vôos semanais do Japão. Em outubro, serão dois vôos por semana. Que os deuses egípcios abençoem esses vôos, para que surjam muitos outros. (Atualização – A Alemanha também cancelou restrições de vôos para o Egito. Além disso, Luxor foi eleita Capital Mundial do Turismo para 2016.)

 

É perigoso visitar o Egito?

Essa dúvida perturba muitos turistas.

Há poucos dias, escrevi sobre isso aqui no blog. O artigo ficou viral no Facebook.

Zahi Hawass, Egito
Enquanto isso, o arqueólogo Zahi Hawass afirma: “O Egito é seguro. Precisamos que você volte”.

 

Guias de turismo egípcios

Está interessado em visitar o Egito? Procura guias de turismo por lá? Tenho ótimas sugestões.

 

Viva o Egito! Foi a viagem da minha vida!

By GLAUCO DAMAS

Moro em Portugal. Atuo como autor desde 2001. Publiquei livros infanto-juvenis, inclusive pela Editora Saraiva. Em 2013, surgiram o primeiro livro técnico e o primeiro guia de viagem.

7 replies on “Bons ventos sopram no Egito: estão de volta os vôos diretos do Japão”

Eu mesma viajei ao Egito partindo do aeroporto de Kansai, Osaka. Naquela época, ano de 1997, era comum o trânsito de turistas do Japão para o Egito. Fomos em um pacote turístico, como o é na maioria dos casos, já que os japoneses primam pela segurança, fato esse que culminou na diminuição dos mesmos em solo egípcio!… Em 1997, 5 meses após a nossa viagem, 10 turistas japoneses morreram em um atentado em Luxor. Após algum tempo creio que houve novamente o aquecimento de turistas nipônicos ao Egito – como acontecerá novamente com a rota restabelecida, já que é um dos destinos preferidos.

Um fato que nos deixou boquiabertos foi o de guias turísticos egípcios dominarem fluentemente o idioma japonês! – cada guia especializa-se em determinado idioma, pelo que pudemos perceber. E com certeza, o idioma japonês não é tão simplório pra aprendizado por um não-japonês… É de parabenizá-los pelo grande desafio!

Com certeza, a abertura dessa rota aquecerá a economia do país, cuja grande parte é mantida pelo turismo, e como você mesmo disse, o povo japonês AMA viajar e conhecer novas culturas – e tirar fotos (risos)! É certo que alguns fatos estremeceram essa rota, mas o Egito, com certeza, é um país que fica marcado em qualquer coração, com sua história, cultura e acolhimento ao turista por sua população! E, com certeza, sempre nos deixa saudades!

Marina, que fantástico eu receber o depoimento de quem fez essa linha Osaka-Luxor!

Achei interessante, também, seu comentário sobre guias egípcios que falam japonês. Os egípcios têm uma facilidade ENORME para aprender idiomas! Impressionante! Os guias que eu indico aqui no blog, por exemplo, falam português. Ora, nossa língua também é bastante complicada… Eu não sei como eles conseguem em tão pouco tempo!

Quanto a japoneses e fotos… Em todas as viagens, as pessoas me olham impressionadas devido ao número de fotos que eu tiro. É comum eu ouvir isto: “Você tem algo de japonês no sangue?”. Aliás, no Egito mesmo, um espanhol disse-me isso quando estávamos em um cruzeiro no Nilo. 😀

Ah, Glauco! Eu não fiz a rota Kansai-Luxor, e sim Kansai-Cairo. Luxor não fez parte da minha rota ao Egito. Lembro-me de também ter tido um atentado a turistas no Museu Nacional do Cairo em 1997. Acho que foi em setembro. Fomos em junho, portanto, não tivemos nenhum problema quanto a isso. Era época de baixa temporada, pois as temperaturas lá passam dos 40C nessa época do ano.

Sempre é bom ir através de pacotes turísticos com guias recomendados. Acredito que esse conselho é pra qualquer destino onde você desconheça o local e não tenha ninguém conhecido que possa te dar dicas de roteiros e locais seguros. Vivemos em um mundo repleto de surpresas. Prevenir nunca é demais. Abraços!

Deixe um comentário